31 de agosto de 2010

Momentos

As altas temperaturas do passado fim de semana convidavam uma ida à praia e por isso nada melhor do que ir até Tróia. Ali, o ar tem um cheiro agradável e o contraste da vegetação com as dunas dão um cunho meio selvagem de que gosto particularmente.

A viagem de ferry é sempre mais arejada e a Carol adora. Depois rumámos até à Comporta. A praia estava, como sempre uma delicia, mas o mar estava agitado. No areal levantavam-se os olhares curiosos sempre que passavam os golfinhos, alguns chegaram mesmo perto da praia e não há miúdo nem graúdo que não goste de ver este animal tão especial. De regresso jantámos em Alcácer do sal. A noite estava optima e apetecia ficar por ali!




30 de agosto de 2010

Paradoxo do nosso Tempo

Hoje, uma amiga enviou-me este texto maravilhoso e eu quero partilhá-lo convosco!

"Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos frequentemente.
Nós bebemos demais, gastamos sem critérios.
Dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde,
acordamos muito cansados,lemos muito pouco, assistimos TV demais, perdemos tempo demais em relações virtuais, e raramente estamos com Deus.
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.
Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.
Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho.
Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito;
escrevemos mais, mas aprendemos menos; planeamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.
Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos cada vez menos.
Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande, de carácter pequeno; lucros acentuados e relações vazias.
Essa é a era de dois empregos, vários divórcios,casas chiques e lares despedaçados.
Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas 'mágicas'.
Um momento de muita coisa na vitrina e muito pouco na dispensa.
Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão aqui para sempre.
Lembre-se dar um abraço carinhoso a seus pais, a um amigo,pois não lhe custa um centavo sequer.
Lembre-se de dizer " eu te amo" à sua companheira(o) e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, ame-se.
Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro.
Por isso, valorize sua família, seus amores, seus amigos,a pessoa que o/a ama, e, aquelas que estão sempre ao seu lado."

27 de agosto de 2010

Back to work



Como sou uma menina bem comportada, ontem lá vim trabalhar, mesmo apesar de ranhosa e fanhosa. E não vim antes porque sou amiga do ambiente e não queria conspurcar as instalações.Não foi mau de todo, tinha só 805 mails para abrir!

Até agora a coisa não está má. Pouca gente (mesmo assim é gente a mais), os telefones não tocam, não se ouvem as vozes estridentes ordenando tarefas para ontem, no fundo ainda se sente o rescaldo das férias. Há que aproveitar esta calmaria momentanea, porque p'ra semana chegam os loucos e para mostrar trabalho fazem-se ouvir pelos corredores como se o mundo fosse acabar no minuto a seguir. Puro histerismo!

Pois..., esta coisa das férias é muita boa mas o regresso deveria ser feito gradualmente ;-)

Iupi!!!! Hoje é 6ª feira e esta semana foi mais curta!

23 de agosto de 2010

De regresso à selva

As férias acabaram e hoje supostamente era dia de trabalho. Para mal dos meus pecados, fiquei doente ontem e esta noite fiz vela. Tive muitas dores de garganta e como já é habitual a primeira noite é sempre a pior. A Carol também está constipada e possivelmente foi ela que me pegou. Chamei a medica cá a casa e confirma-se, faringite. Receitou-me antibiotico e Brufen mas quero ver se não chego a tomar, estas porras ajudam mas têm os seus efeitos "perversos". Deu-me 3 dias em casa, mas assim que me sentir melhor vou trabalhar.

Bem, do mal o menos, foi no final das ferias e deu para aproveitar.Não descansei muito, mas\pelo menos só o facto de sair da rotina já foi suficientemente bom. Apanhei um calor brutal no Alentejo, quase irrespiravel mas naquela terra vale sempre a pena. Depois fui até ao Algarve e a agua este ano estava optima, noites agradáveis que convidavam ao passeio à beira mar. Foi bom, principalmente para recarregar baterias, mas agora é tempo de rentrée e pensar que já se avizinha mais um ano escolar e isso é sinónimo de tarefas acrescidas e arrombo no orçamento.