31 de março de 2010

Parabéns Filhota!!!!!






KIDZANIA - sala dos adultos - 31 Março 2010

É aqui que me encontro neste preciso momento depois de despachar na maternidade da cidade Kidzania a minha filhota e as duas melhores amigas.

Ontem a Carol fez 8 anos e houve um jantar para a familia e amigos. No Colegio houve a festinha tradicional com os colegas e o respectivo bolo com as 8 velinhas.à noite dormiram as 2 amigas na mesma cama e foi risada até à 1h da manhã.

Como não acho piada nehuma ao Funcenter nem coisas do género, até porque ela já lá fez outras festas, optámos pela Kidzania. Ela já cá tinha vindo e adorou, por isso achei que ía gostar de vir com as melhores amigas. Aqui ela pode dar asas à imaginação e desfrutar das dezenas de profissões à disposição. Espero que se divirtam e acredito que sim, porque isto de facto é uma loucura. Muito engraçado mesmo, vale a pena.

Parabéns meu amor, que sejas muito feliz! E já sabes, a mãe e o pai adoram-te!

P.S. Bem, agora vou dar uma volta pelo Dolce Vita Tejo e ver umas montrinhas, gaja que é gaja não perde esta oportunidade!

26 de março de 2010

Hora do Planeta 2010


Apagar as luzes por uma hora - a Hora do Planeta - é não só contribuir para a preservação do nosso Planeta, como fazer parte da maior plataforma voluntária de cidadãos contra as alterações climáticas.

Pelo segundo ano consecutivo, Portugal adere à Hora do Planeta e os resultados têm sido além das expectativas!

Já temos confirmadas oficialmente as cidades de Lisboa, Faro, Loulé, Águeda, Aveiro e Vila Nova de Famalicão. E todos os dias várias cidades e vilas do país procuram saber como aderir a este movimento que este ano já está a ultrapassar os números atingidos em 2009.

Monumentos nacionais (como: Cristo-Rei, Castelo de São Jorge, Museu da Electricidade e Padrão das Descobertas em Lisboa; Arco e Muralhas da Cidade de Faro; Biblioteca Manuel Alegre, em Águeda; ou o Mosteiro do Landim, em Vila Nova de Famalicão) engrossam a lista de mais de 70 monumentos que em todo o mundo irão ficar às escuras em nome desta mensagem poderosa da WWF e da Hora do Planeta: ajudar a manter o nosso Planeta Vivo!


O Planeta conta consigo e com milhares de empresas e organizações nesta luta para marcar a diferença e fundamentar uma mudança real!


As expectativas para a HP2009, eram elevadas, mas foram superadas em todo o mundo de forma estrondosa!

Durante uma hora mais de 4 mil cidades, das quais 11 cidades portuguesas, em 88 países, 21 mil empresas e o estrondoso número de 1 200 milhões e pessoas em todo o mundo deram o seu voto ao Planeta.

A Hora do Planeta em 2009, alargava sua mensagem a Copenhaga, onde decorreu a Cimeira das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas - de onde deveria sair um novo acordo climático.

Os olhos estavam postos na cidade dinamarquesa, nos líderes mundiais e num Acordo Climático que fosse ambicioso, justo e realmente eficaz. Os países mais desenvolvidos, de quem se esperava um progresso em acções sustentáveis, minaram este objectivo.

E esta atitude vai ter repercurssões no futuro de todos nós!

Mas não é com críticas que mudaremos a situação. É com acções! E acções construtivas e em forma de celebração. Uma celebração por um Planeta Vivo!

Una-se à Hora do Planeta 2010 e marque a diferença!

Contra o aquecimento global, uma acção global.
Não lhe estamos a pedir muito: é só mexer um dedo e... Desligar a luz!

HORA DO PLANETA
27 Março - 20H30 ás 21H30

22 de março de 2010

Projecto Luz na Antena 1


Ainda estou a ouvir-vos enquanto escrevo este post. E de facto julgo que se torna imperioso passar esta informação de uma forma alargada.

Está a ser muito útil ter estas informações, até porque ainda sabia relativamente pouco sobre este projecto. Concordo contigo Nela, quando dizes que se torna "mais facil" falar do cancro desta forma aberta, no fundo é uma catarse que fazemos para nos ajudar a lidar com a doença.

E tenho a concluir que vocês são de facto seres excepcionais que abdicam do vosso tempo para fazer algo tão grandioso.

Vou colocar também no meu blog.

Obrigado por existirem! E obrigado à Claúdia que, onde quer que esteja, acredito que está feliz por saber que tanto contribuiu para tudo isto. Este foi o seu legado. A nós cabe-nos dar continuidade ao seu trabalho.

Afinal "MORRER É SÓ NÃO SER VISTO".

Um beijo a todas.

http://tv1.rtp.pt/multimedia/index.php?prog=2754 (procurem o programa do dia 9 de Março)

19 de março de 2010

Raça desgraçada


Depois de ter falado com o Hospital da Luz para saber o que fazer para enviar relatorio de exame e posteriormente falar com o medico, segui escrupulosamente as indicações fornecidas pela administrativa. Supostamente ele iria ler o dito relatório no final do dia e falaríamos ao telefone.

Acabei de falar com o Hospital da Luz e a resposta da administrativa foi: "Este médico não atende pessoas ao telefone. Terá que marcar uma nova consulta".

Resultado terei que pagar mais 90€ para me dar o nome do raio do medicamento. E possivelmente teria que pagar mais 90€ dali a 1 mês para ver se o medicamento foi eficaz.

Situações como estas deviam ser denunciadas. Estes gajos que não têm outro nome deviam falar com as pessoas no final das consultas. É o minimo para alguém que fez juramento: "Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém".

Pena é que nem todos nasceram para isto. Sabe melhor fazer disto um negócio chorudo.

Benditos sejam os bons!

18 de março de 2010

As minhas dobradiças


Desde o ano passado, mais ou menos na altura em que recomeçei o trabalho, começei a sentir um ardor nas articulações do sacro iliaco, principalmente quando estava sentada e é nessa posição que passo a maior parte do tempo (ossos do oficio). A parte boa é que ao andar passava-me. À noite colocava saco de água quente, aliviava mas não passava. Até que fiz TAC, tudo ok.
Este ano no inicio do ano, após uma hora de ginásio voltei a sentir o tal ardor principalmente do lado esquerdo, algumas vezes até à anca do mesmo lado. E o saco de água quente não alivia. Cheguei a fazer 6 injecções de Voltaren e Relmus, mas nada. Como é óbvio, a cabeça começa a carburar mal. Fui a um ortopedista que me prescreveu uma série de exames, cintigrafia, RM e RX.

Ontem recebi finalmente o resultado da cintigrafia óssea que tanto me deixou ansiosa. O técnico tinha-me descansado, no entanto ver para crer.

Está tudo bem, excepto a parte que diz inflamação poliarticular ligeira, mais acentuada na regiao sacro iliaca. Ora aí está, ninguém se queixa sem ter razão.

Penso que esta porra se deve aos tratamentos agressivos que fiz, pois nunca tinha sentido este tipo de coisa.

Agora vou consultar um reumatologista para saber o que tomar.

Se precisarem de médicos de várias especialidades, posso facultar-vos, no meu tlm 70%dos contactos pertencem a essa estirpe. Às vezes chego a pensar... ainda vou ter um caso com um. Só pode!

11 de março de 2010

Projecto Luz - "Apadrinhe um amigo"


Renovo aqui a mensagem do post da nossa amiga Manuela, uma das fundadoras do Projecto Luz.

Leia e veja como pode ser "Padrinho".
_____________________________________________________________________________________
O Projecto Luz - Associação Portuguesa de Apoio A Doentes Oncológicos é uma Associação particular, sem fins lucrativos, que tem como missão apoiar o doente oncológico e os que lhe estão próximos para melhorar a sua qualidade de vida.
Os voluntários que fazem parte da Associação são pessoas que, pela sua experiência de vida, estão sensibilizadas para esta problemática.
Temos voluntários das áreas profissionais de enfermagem oncológica e psicologia.
Estamos a lançar o Projecto “Apadrinhe um Amigo”.

Temos uma rede de “padrinhos”, doentes em remissão, que estão disponíveis para apoiar, orientar, conversar, dar esperança a novos doentes com a mesma patologia. Não se tratando de um substituto das orientações médicas ou psicológicas dos profissionais, o objectivo é dar apoio ao doente oncológico, um ombro amigo, uma palavra, um espaço onde ambos possam partilhar a sua experiência e fazer uma catarse dos seus medos e ansiedades.
O padrinho, doente em remissão, poderá falar da sua experiência, da sua luta e da sua vitória, sentindo-se útil ao poder ajudar alguém que está agora a passar por algo que lhe é muito familiar.
O afilhado tem alguém que está disponível para o ouvir, que compreende os seus medos, problemas e dificuldades, ao mesmo tempo que vê no padrinho um caso de sucesso, ou seja, que é possível vencer.
Quer partilhar a sua Experiência? Quer falar com quem vive/viveu o mesmo problema?


Quer ser um Padrinho no Projecto Luz?


Por favor, contacte-nos através do nosso email ou telefone.

Sozinho, o percurso é mais difícil...
­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­_________________________________
Telemóvel: 96 477 57 57
Correio electrónico: projluz@gmail.com
Página Web: http://www.projectoluz.com

9 de março de 2010

Exames


Ontem foi dia de exames, logo foi dia de nervos. E que nervos! Estava um dia de fugir, o que também não ajuda nada.

De tal forma que quando cheguei ao trabalho já depois do almoço, escorreguei no corredor e dei um tombo que entoou por toda a empresa.

Levantei-me, sacudi-me( como os dogs) e fugi antes que alguém me visse. Afinal estavam todos a dormir e ninguém deu por nada.O rabo ficou dorido e ainda me custa a sentar. Por isso o dia da Mulher passou-me despercebido. Outros valores se levantam.

No entanto aqui deixo uma mensagem que homenageia todas as mulheres, principalmente aquelas que já partiram.

Trabalhadoras. Amigas. Confidentes. De coração aberto. Lutadoras. Que permanecem no meu coração para todo o sempre!

Apelo para encontrar dador de medula compatível




Bebé de oito meses luta contra leucemia in Correio da Manhã

A vida da Sofia "poderá depender de si". Este é o apelo lançado por familiares e amigos de uma bebé de oito meses, a quem foi diagnosticada leucemia, para encontrar um dador de medula óssea compatível.
Para poder "continuar a viver" a menina, residente no concelho de Condeixa-a-Nova, necessita de um transplante. "É a sua única hipótese", refere Ana Bernardes, amiga da família e dinamizadora da campanha, surpreendida com a quantidade de pessoas que já responderam.
Sofia Domingues Fonseca aparentava ser uma menina saudável até que, de repente, tudo mudou com a descoberta da doença, há dois meses. "A bebé estava no infantário e ligaram à mãe a dizer que estava febril e tinha vomitado", recorda Ana Bernardes. Foi encaminhada para o Hospital Pediátrico de Coimbra, onde os médicos estranharam a "barriga muito dilatada" e confirmaram as piores suspeitas. Sofia tem leucemia mieloide crónica, uma doença rara em crianças.
O drama dos pais, Margarida Domingues e Francisco Fonseca, de 36 anos, começou nesse momento. "A bebé tem de fazer quimioterapia todos os dias. A mãe, que trabalhava, está em casa com ela e só sai duas vezes por semana para a levar ao hospital. É um sofrimento enorme para todos", descreve Ana Bernardes.
Segundo a amiga da família, a menina só poderá ser transplantada quando tiver um ano, mas a campanha para encontrar um dador compatível já está em marcha. Quem quiser ajudar a Sofia deve contactar o Centro de Histocompatibilidade nos Hospitais da Universidade de Coimbra.

QUEM PODE AJUDAR
Ter entre 18 e 45 anos, pesar mais de cinquenta quilos, nunca ter recebido uma transfusão de sangue, não sofrer de doenças crónicas e não estar já inscrito na base de dados: são estas condições exigidasa quem quiser ser dador de medula óssea.
ONDE AJUDAR
Se cumprir estes requisitos,apenas tem de se dirigir aos centros de histocompatibilidade existentes em Lisboa (telefone: 217 504 100), no Porto (telefone: 225 573 470) e em Coimbra(telefone: 239 480 700/719).
AMOSTRA DE SANGUE
Para verificar se é compatível com as inúmeras crianças que precisam das suas células para sobreviver basta a recolha de uma pequena amostra de sangue. Não dói nada.


Não vire as costas! Não ponha a cabeça na areia para fingr que não vê. Olhe de frente, porque infelizmente é esta a realidade, fria e cruel!

Ajude porque esta é a sua obrigação, como ser humano!

Ajude a salvar esta bébé!

1 de março de 2010

Memória? Varreu-se!


Ando com uma falta de memória incrivel, principalmente depois da cirurgia reconstrutiva em que estive anestesiada 8h. Não sei se foi esse o motivo ou não. O que é certo é que por este andar qualquer dia não me lembro do meu nome.

Na verdade, dava jeito esquecer-me de algumas coisas, mas não vou dizer quais.

Sinceramente, no trabalho causa-me alguma mossa. Quero lembrar-me dos assuntos e não consigo, parece que estou com amnésia e provavelmente estou, mas não sei!

Já para não falar em casa. A frase do dia passou a ser: "Não vale a pena falar contigo, não te vais lembrar!"

Então o plano de contingência passou a ser o seguinte: Coloco na agenda do meu telemovel todos os compromissos e tarefas a cumprir. Funciona quase sempre e há que contar com algum o risco, no caso de o telemovel ficar sem bateria. Azar dos azares! Aí não há salvação.

Mas por vezes, o post-it também funciona. Podemos vê-lo no Pc, no bolso do casaco, no frigorifico lá de casa, no carro e em situações extremas até na porta de casa.

Antes que me esqueça do caminho para casa, dava-me jeito que alguém me ajudasse a resolver este problema cabeludo! Help!

Exames - Custo ou beneficio?


Nunca percebi se existe algum critério ou protocolo definido para os exames no follow up dos doentes com cancro da mama.

Na verdade, a necessidade de se manter as análises e a mamografia é consensual. No entanto todos os outros dependem da vontade do médico ou da insistência do doente. Houve um médico que me disse que os exames só se fazem quando existem suspeitas de doença activa. Outros dizem que não acrescentam nada, antes pelo contrário, deixam o doente ansioso e que nada beneficia. Ao contrário destes, os médicos que trabalham no particular acham que se deve fazer exames regularmente para haver um acompanhamento mais fiel do estado do doente.

Perante isto, nunca sei o que devo fazer. Insistir com os medicos para fazer todos os exames que fazem parte do protocolo ou devo ser eu a pagá-los do meu bolso?

Mantém-se a duvida! Não fazemos mais exames para poupar dinheiro ao estado ou para evitar sujeitar-nos a mais radiações e doses excessivas de ansiedade?