29 de dezembro de 2010

FELIZ ANO 2011


E assim se passou mais um ano, graças a Deus!
Estamos mais velhos, pois estamos e ainda bem!
A todas vós, a todas nós, eu desejo um Excelente 2011, cheio de saúde, trabalho e muita paz!

Aos nossos sonhos, Tchim! Tchim!

21 de dezembro de 2010

Feliz Natal


E aqui vai a mensagem natalicia para todas as minhas amigas do peito:
Desejo-vos um Santo Natal cheio de saude, amor e muita paz!
E não se esqueçam, a melhor prenda que podemos ter é estarmos vivos!

10 de dezembro de 2010

Historia do Natal digital



Muito giro! Um dos melhores videos que já vi no youtube!

30 de novembro de 2010

Back to work


Cá estou de novo a bombar.
Desdenhamos e refilamos do trabalho, mas o que é certo é que nos faz falta, a actividade apesar de rotineira faz-nos sentir úteis e saudáveis.
De facto, não faço exactamente o que gosto, mas quem o faz? Importa pois, é fazer seja o que for mas com empenho e dedicação.
NO entanto, tenho momentos como o do bébé!

24 de novembro de 2010

Estou cá para contar como foi

SOBREVIVI!!!
Faz hoje uma semana que fui internada no HEM para a ultima parte da reconstrução, isto é auréola e mamilo.
A cirurgia durou cerca de hora e meia e correu bem. Vim para o quarto passado pouco tempo e estive sempre bem disposta. O pior veio depois.
No dia seguinte por volta da hora do almoço, senti-me um pouco nauseada, o que é normal serem os efeitos da anestesia e anelgésicos, e o enfermeiro disse-me "vamos já acabar com a má disposição". Segundos depois de me injectar directamente na veia o medicamento, comecei a ter muito sono e dificuldade em falar, a lingua inchou e a boca secou completamente. Ele apercebeu-se e passados minutos, injectou-me novamente hidrocortisona como antidoto. A partir daí fiquei KO. Deixei de falar, só queria dormir. A medica veio ver-me e confirmou-se que tinha feito choque anafilatico, mas o mais estranho foi que a medicação tinha sido a mesma que me deram enquanto estive no recobro e tinha corrido bem. Enfim, dormi todo o dia e só à noite é que retomei os sentidos. Como sou obstipada, nessa noite resolvi tomar Gutalax para resolver outra questão.
No dia seguinte acordei bem disposta. Depois do almoço comecei com dores muito, muito fortes na zona dos rins e em ambos os lados, de tal forma que me contorcia na cama sem ter posição que aliviasse aquelas malditas dores. As enfermeiras começaram por me dar analgésicos, aliviava, mas não desapareciam. A dor surgia tipo cólica, começava fininha e depois ía aumentando gradualmente até atingir um ponto em que não aguentava mesmo. Contorcia-me até ficar lavada em lágrimas, e elas foram incansáveis, não me largaram. Deram-me mais laxantes, porque suspeitava-se que fossem gases. Fiz RX abdominal e analises, talvez fossem colica renal, mas seria muita coincidência serem os 2 rins ao mesmo tempo. Mas o resultado dizia que estava tudo bem. Nessa noite mudaram-me de quarto, fiquei isolada, e finalmente deram-me uma injecção para as dores com Nolotil e Buscopan. E finalmente passou e eu dormi.
No outro dia a mesma coisa, tinham voltado as dores, sempre da mesma forma. Mais injecções e foi assim sabado e domingo, injecções de 2 em 2 horas.
Na 2ª feira, o medico deu-me alta e pediu-me para fazer eco renal. Vim para casa bem disposta e durante o dia estive bem. Na madrugada de 3ªf, fui paras as urgências da Luz novamente com as dores. Outra injecção. Tenho o dito cujo que parece um passador.
Ontem estive todo o dia deitada com saco de água quente nesta zona e hoje finalmente acordei sem dores!!!!! UFA!!!!!
Conclusão, acho que eram gases provocados pela medicação e pelo sistema nervoso depois do episodio que me deixou assustada.
O que estava previsto ser uma coisa simples e rápida transformou-se num inferno.
De resto, a cirurgia correu bem e já cá tenho a mama completa, e desde já informo que esta cirurgia não dá dores no pós, apenas uma coisinha leve na zona da virilha, visto que o corte é feito aí para retirar pele para fazer a auréola. Agora ainda tenho um penso que só vou mudar na proxima 2ªf.
Foi mais um teste à minha capacidade de resistência!
A todas as amigas que me ligaram mas eu não pude atender, aqui fica o meu obrigado e um beijinho grande para todas.

17 de novembro de 2010

Fechar o ciclo

Não, não estou nada nervosa! Essa agora!!!!!!!

Hoje ao final do dia vou ser internada para mais uma etapa.
Para quem já passou por tantas cirurgias e anestesias era suposto saber lidar com estas coisas, mas não sei e ponto final. Criei alergia aos hospitais e seus afins e cada vez que tenho de ir para aqueles lados fico toda encarquilhada.
A questão é que inicialmente disseram-me que era ambulatório, mas depois ligaram-me a dizer que no minimo tinha que lá pernoitar 2 noites,o suficiente para me deixar toda atrofiada.
Logo agora com a Cimeira da Nato em que vão precisar de hoteis para alojar os boys dos chefes de estado deste planteta e eu a ocupar uma suite de um hotel de luxo virado para 25 de Abril.

Mas ok, tal como uma amiga minha diz, é necessário fechar o ciclo. E amanhã seremos duas a fechá-lo! Eu e a Mafalda.
Coincidência? Talvez!

Ah....mais uma coisa. Já naõ sou loira mas sim ruiva. Está bem vermelho para me verem melhor ao longe. Estava a precisar de mudar, "lavar a cara", faz bem à alma! Enfim coisas de gajas! Jinhos

16 de novembro de 2010

Movimento Partilha

JUNTOS ACREDITAMOS!



Já vos disse que tenho imenso orgulho em vocês?
Estão lindas as minhas amigas!

12 de novembro de 2010

11 de novembro de 2010

Nova recauchutagem


Mama! Mamilo! Encher de um lado, esvaziar de outro! Simetrias!
Para mim já está optimo, mas o Plástico quer mais.
Mais hospital! Mais internamento! Mais bloco! Mais uma anestesia! Mais médicos e agulhas e pensos e remédios, mais, mais...
Estou farta e cansada.Mas tal como uma amiga diz, é necessário fechar o ciclo!Então bora lá!

27 de outubro de 2010

Isto é Amor!

Enviaram-me este texto que achei lindo e queria partilhá-lo convosco. É de partir o coração.

O Nó no Lençol :


Numa reunião de pais numa escola da periferia, a professora ressaltava o apoio que os pais devem dar aos filhos e pedia-lhes que se fizessem presentes o máximo de tempo possível...

Considerava que, embora a maioria dos pais e mães trabalhasse fora, deveria arranjar tempo para se dedicar às crianças.

Mas a professora ficou muito surpreendida quando um pai se levantou e explicou humildemente, que não tinha tempo de falar com o filho, nem de vê-lo, durante a semana, porque quando ele saía para trabalhar era muito cedo e o filho ainda estava a dormir. Quando voltava do trabalho já era muito tarde e o filho já não estava acordado.

Explicou, ainda, que tinha de trabalhar assim para prover o sustento da família, mas também contou que isso o deixava angustiado por não ter tempo para o filho e que tentava compensá-lo indo beijá-lo todas as noites quando chegava em casa.

E para que o filho soubesse da sua presença, ele dava um nó na ponta do lençol que o cobria. Isso acontecia religiosamente todas as noites quando ia beijá-lo. Quando o filho acordava e via o nó, sabia, através dele, que o pai tinha estado ali e o havia beijado. O nó era o meio de comunicação entre eles.

A professora emocionou-se com aquela história e ficou surpreendida quando constatou que o filho desse pai era um dos melhores alunos da escola.

O facto faz-nos reflectir sobre as muitas maneiras de as pessoas se fazerem presentes, de comunicarem com os outros.

Aquele pai encontrou a sua, que era simples mas eficiente. E o mais importante é que o filho percebia, através do nó, o que o pai estava a dizer.

Simples gestos como um beijo e um nó na ponta do lençol, valiam, para aquele filho, muito mais do que presentes ou a presença indiferente de outros pais.

É por essa razão que um beijo cura a dor de cabeça, o arranhão no joelho, o medo do escuro...

É importante que nos preocupemos com os outros, mas é também importante que os outros o saibam e que o sintam.

As pessoas podem não entender o significado de muitas palavras, mas sabem reconhecer um gesto de amor.

Mesmo que esse gesto seja apenas um nó num lençol...

22 de outubro de 2010

Outubro - Mês da luta contra O CANCRO DA MAMA!

Outubro - Mês da luta contra O CANCRO DA MAMA! Copia esta frase e imagem e coloca-a no teu Blog e/ou perfil durante uma semana no mês de outubro. TODOS JUNTOS NUNCA SEREMOS DEMAIS A LUTAR POR ESTA CAUSA!

21 de outubro de 2010

Cirque du Soleil


Ontem fomos ver o Cirque du Soleil (Saltimbanco)ao Pavilhão Atlantico.

Gostámos imenso e a Carol também. A banda é excelente e os acrobatas são os melhores dos melhores. A cor e a vivacidade do espectáculo é fabulosa. Vale a pena o preço dos bilhetes.

14 de outubro de 2010

Alguém se Candidata a ser Parlamentar na Suécia???



É isto um país rico! Enquanto em Portugal os contribuintes alimentam as barrigas gordas e flácidas dos que se sentam no Parlamento.

O chile deu uma lição ao Mundo


Chega ao fim o drama dos 33 mineiros presos numa mina no Chile.

A operação de resgate dos 33 mineiros presos na mina de San Jose, no Chile, durou cerca de 24 horas e foi concluída com sucesso esta quinta-feira de madrugada. O último a sair foi o chefe do grupo, Luis Urzúa. Don Lucho, como é conhecido pelos colegas, chegou à superfície à 01h56 (hora de Lisboa) e entra agora para o Guiness como o homem que esteve mais tempo nas profundezas da terra.

Tenho acompanhado com preocupação os acontecimentos destes mineiros. Ontem, foi com emoção que vi sairem da terra estes homens de fé. Mas o que mais me surpreendeu foi ver que todos eles chegaram com um aspecto limpo, arranjado e um ar tranquilo, quando todos estavam à espera de os ver sujos e com a barba por fazer (o que seria o mais natural e compreensivel. Fiquei estarrecida!

Mostraram a todos que apesar de serem um país lá nos confins do Mundo, são pessoas de bem e que sempre se organizaram de uma forma exemplar, tendo a consciência que estavam a 700m de profundiddae e que podiam nunca mais sair dali.

Toda a equipa de resgaste estão de parabéns e o Chile está de Parabéns. A estes homens que são acima de tudo um grande exemplo de coragem e de grande organização, eu desejo que fiquem para a história e que sejam uma bandeira para este Mundo perdido.

Aos 33 mineiros chilenos desejo as maiores felicidades!

Ajuda de Berço corre risco de fechar um centro de acolhimento de bebés por falta de dinheiro - Sociedade - PUBLICO.PT

Ajuda de Berço corre risco de fechar um centro de acolhimento de bebés por falta de dinheiro - Sociedade - PUBLICO.PT

8 de outubro de 2010

Frei Armando Ventura fala sobre a actual situação do país

"SOMOS UMA BARRACA COM UM SUBMARINO À PORTA"!!!!!!!!!!

Não me lembro da ultima vez que ouvi alguém a falar tão verdade!
Vale a pena ouvir este Senhor que não tem papas na lingua e ver o que ele diz dos nossos lideres.
Publiquem este video, reencaminhem-no, distribuam-no por este país colapsado. É hora de acordar e agir, poque tal como ele diz "somos gente de bom coração". Não nos deixemos enganar!

3 de setembro de 2010

Casa Pia

Hoje fez-se parte da justiça, o que para a maior parte das pessoas foi uma grande surpresa.

No entanto, nada nem ninguém conseguirá limpar as memórias traumáticas daquelas crianças. O Bibi, o elo mais fraco, tal como seria de esperar, apanhou mais que os outros.

Vão recorrer. No entanto Marinho Pinto adianta que, ao ritmo que tem levado este processo, possivelmente vai haver prescrição.

2 de setembro de 2010

II Encontro Rosa Esperança



II ENCONTRO ROSA ESPERANÇA
19 de Setembro – 10.00h
Nascentes do Alviela – Alcanena
Rosa Esperança está de volta aos palcos e para iniciar a “rentreé” nada melhor que um grande Encontro. Traga a família e os amigos e junte-se a nós.
Infra-estruturas no local:
· Praia fluvial
· Parque de merendas
· Parque Infantil
· Campo de jogos
· Centro de Ciência Viva
· Percurso pedestre
· Café-bar com esplanada
· Sanitários
· Estacionamento
Como Chegar:
As nascentes do Alviela (Olhos d´Água) situam-se no concelho de Alcanena, distrito de Santarém.
Pela A1: saída 7 - Torres Novas/Alcanena. Atravessar Alcanena seguindo na direcção de Alcanede. Virar na rotunda onde está indicada a praia fluvial e o CCVA ou Carsoscópio.
Coordenadas GPS:
39°26'37.90"N
8°42'39.65"W
Para mais informações: cristinaogvicente@hotmail.com
*Nota: O Centro de Ciência Viva (CCVA) é um sítio a não perder (para miúdos e graúdos) e que recomendamos. As visitas são guiadas e devem ser marcadas. Quem estiver interessado deve manifestar essa intenção para podermos organizar as visitas da melhor forma.
Preços das visitas ao CCVA (especiais para grupos): crianças - 2,10€ / adultos – 4,20€

31 de agosto de 2010

Momentos

As altas temperaturas do passado fim de semana convidavam uma ida à praia e por isso nada melhor do que ir até Tróia. Ali, o ar tem um cheiro agradável e o contraste da vegetação com as dunas dão um cunho meio selvagem de que gosto particularmente.

A viagem de ferry é sempre mais arejada e a Carol adora. Depois rumámos até à Comporta. A praia estava, como sempre uma delicia, mas o mar estava agitado. No areal levantavam-se os olhares curiosos sempre que passavam os golfinhos, alguns chegaram mesmo perto da praia e não há miúdo nem graúdo que não goste de ver este animal tão especial. De regresso jantámos em Alcácer do sal. A noite estava optima e apetecia ficar por ali!




30 de agosto de 2010

Paradoxo do nosso Tempo

Hoje, uma amiga enviou-me este texto maravilhoso e eu quero partilhá-lo convosco!

"Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos frequentemente.
Nós bebemos demais, gastamos sem critérios.
Dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde,
acordamos muito cansados,lemos muito pouco, assistimos TV demais, perdemos tempo demais em relações virtuais, e raramente estamos com Deus.
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.
Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.
Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho.
Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito;
escrevemos mais, mas aprendemos menos; planeamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.
Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos cada vez menos.
Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande, de carácter pequeno; lucros acentuados e relações vazias.
Essa é a era de dois empregos, vários divórcios,casas chiques e lares despedaçados.
Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas 'mágicas'.
Um momento de muita coisa na vitrina e muito pouco na dispensa.
Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão aqui para sempre.
Lembre-se dar um abraço carinhoso a seus pais, a um amigo,pois não lhe custa um centavo sequer.
Lembre-se de dizer " eu te amo" à sua companheira(o) e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, ame-se.
Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro.
Por isso, valorize sua família, seus amores, seus amigos,a pessoa que o/a ama, e, aquelas que estão sempre ao seu lado."

27 de agosto de 2010

Back to work



Como sou uma menina bem comportada, ontem lá vim trabalhar, mesmo apesar de ranhosa e fanhosa. E não vim antes porque sou amiga do ambiente e não queria conspurcar as instalações.Não foi mau de todo, tinha só 805 mails para abrir!

Até agora a coisa não está má. Pouca gente (mesmo assim é gente a mais), os telefones não tocam, não se ouvem as vozes estridentes ordenando tarefas para ontem, no fundo ainda se sente o rescaldo das férias. Há que aproveitar esta calmaria momentanea, porque p'ra semana chegam os loucos e para mostrar trabalho fazem-se ouvir pelos corredores como se o mundo fosse acabar no minuto a seguir. Puro histerismo!

Pois..., esta coisa das férias é muita boa mas o regresso deveria ser feito gradualmente ;-)

Iupi!!!! Hoje é 6ª feira e esta semana foi mais curta!

23 de agosto de 2010

De regresso à selva

As férias acabaram e hoje supostamente era dia de trabalho. Para mal dos meus pecados, fiquei doente ontem e esta noite fiz vela. Tive muitas dores de garganta e como já é habitual a primeira noite é sempre a pior. A Carol também está constipada e possivelmente foi ela que me pegou. Chamei a medica cá a casa e confirma-se, faringite. Receitou-me antibiotico e Brufen mas quero ver se não chego a tomar, estas porras ajudam mas têm os seus efeitos "perversos". Deu-me 3 dias em casa, mas assim que me sentir melhor vou trabalhar.

Bem, do mal o menos, foi no final das ferias e deu para aproveitar.Não descansei muito, mas\pelo menos só o facto de sair da rotina já foi suficientemente bom. Apanhei um calor brutal no Alentejo, quase irrespiravel mas naquela terra vale sempre a pena. Depois fui até ao Algarve e a agua este ano estava optima, noites agradáveis que convidavam ao passeio à beira mar. Foi bom, principalmente para recarregar baterias, mas agora é tempo de rentrée e pensar que já se avizinha mais um ano escolar e isso é sinónimo de tarefas acrescidas e arrombo no orçamento.

31 de julho de 2010

Ferias merecidas


Pois é, oficialmente entrei hoje de férias.

Quero aproveitar para descansar, ler, passear e essencialmente estar em familia. Venha de lá um solinho, não em excesso, pois estou branquela até dizer chega.

Tenham umas boas férias!

Jokinhas e fiquem bem

P.S. Não, não vou para o Bali! Mas tenho pena! Ora se tenho!

30 de julho de 2010

Ainda António Feio

"Apreciem cada momento agradeçam e não deixem nada por dizer, nada por fazer..."

Obrigada António Feio

E como alguém dizia:

"Pessoas como o António não morrem! Ele foi só comprar tabaco!"

António feio *


Hoje de manhã quando cheguei ao trabalho foi a 1ª noticia que me deram. Morreu o António Feio. Ninguém está preparado para ouvir essa noticia, por mais que se diga que estava doente e qua sa coisas estão mal, ninguém quer ouvir isso. Ninguém se prepara para morrer e deixar morrer.

Há ano e meio soube que tinha cancro. Mas o que o assustava não era a morte, mas sim viver mal. O seu lema: “a vida é para saber aproveitar”.

Excelente actor. Excelente ser humano. Um lutador.

Foi cedo demais para morreres.

Fazes-nos falta António.

28 de julho de 2010

22 de julho de 2010

IPPONforLIFE de Tiago Alves

IPPONforLIFE: Palavra para difinir o CANCRO:

"Caminho para a luta
Agarrar a vida
Nunca desistir nem baixar os braços
Combater com unhas e dentes
Resistir à dor e ao sofrimento
Olhos sempre postos na confiança"

"Este é o meu Ippon for life"

Estas foram as palvras sábias de Tiago Alves, o Judoca de 18 anos que ontem partiu!

E que a a todas nós deixou uma lição de vida.

Descansa em paz miudo!

20 de julho de 2010

Quando eu era bébé


Adoro esta foto! Especialmente o olhar ternurento dos meus pais enquanto me pegam ao colo. Eu aconchegada naqueles braços, sentia-me protegida e amada. Apesar de minuscula, nada de mal me podia acontecer.

A minha mãe tinha 22 anos, o meu pai 29 e amavam-se muito.

Já fui muito feliz aqui...


Eis aqui algumas fotos de quando eu tinha 9 ou 10 anos. Os fins de semana eram passados em casa dos meus tios na Parede. Eles tinham um grande jardim à volta da casa e eu e os meus primos adoravámos andar por ali a brincar. Por vezes tinham coelhos e patos e cada um de nós adoptava o seu preferido. Lembro-me que o meu era um coelhinho branco que fazia as delicias de toda a miudagem. Passeávamos no jardim do Estoril e fazíamos praia na Parede, na altura ainda não se sabia o que eram arrastões. Éramos livres e felizes. Tenho muitas saudades daquele tempo, muitas mesmo!

7 de julho de 2010

Nem tudo o que parece é!



Quem ler os meus 2 ultimos posts, pode pensar que a minha vida corre às 1001 maravilhas. Sim, provavelmente também eu pensaria o mesmo. Mas de facto não é verdade. O drama agora é outro que, apesar de não se prender com a saude pode interferir nela. Algumas de vocês já o sabem. Desde Fevereiro que o meu marido com 42anos ficou no desemprego, esse flagelo nacional.

Numa manhã de Fevereiro quando tudo parecia bem, o Departamento de Arte e Comunicação da empresa onde esteve 14 anos, com 7 colaboradores, foram chamados à Administração. Passadas 2 horas ligou-me. "Fomos despedidos. Despedimento colectivo". O tecto desabou de novo! E inevitavelmente vieram as mesmas questões: O que é que eu fiz para merecer isto? Não era já tempo de ter descanso?

E naquela manhã a vida mudou de novo.

Despedimento colectivo não foi bem o caso. Porque a Directora que auferia um ordenado 3 vezes superior aos outros e uma colega que é "baby-sitter" dos filhos dela ainda lá continuam. Pelos vistos, o argumento da inviabilidade financeira só se encaixava nos 5 colaboradores. Outros valores se ergueram, não tenho duvidas!

Talvez se devesse aplicar a lei de Fafe, pelo menos aliava o stress e com sorte ficavam com algumas cicatrizes para o resto da vida.

Designer Gráfico de profissão, experiência no ramo há mais de 20 anos e com um nivel de profissionalismo lisonjeado por muitos, não foram factores suficientemente fortes que justificassem a continuação do posto de trabalho.

Depois a partir daí, como podem imaginar muitas outras coisas vieram. Primeiro o choque. Depois a revolta. E agora a sensação de impotência perante a conjuntura nacional.

Quando falamos de alguém com 40 anos pensamos automaticamente, é novo. Pois na verdade não é bem assim. Somos novos de facto e ainda nos sentimos capazes de milhentas coisas. Temos experiência, temos! Mas de que vale? O mercado de trabalho quer gente nova, acabada de sair das faculdades para lhes pagar uns míseros 500 ou 600€. Não nos quer porque saímos caro, porque o know-how vale dinheiro e o dinheiro está caro. Assim, por cada um que vem para a rua, metem 4 ou 5 estagiários pelo preço do primeiro. Deixámos de ter rosto e passámos a ser números numa folha de excel.

Passaram 5 meses e após inumeros e incessantes respostas a anuncios, nada acontece. Nem se dignam a responder um "Lamentavelmente..." As empresas fecham-se e não querem assumir mais encargos quando se vive em alegada austeridade.

Entretanto, o tempo passa, a frustração é cada vez maior e involuntariamente a familia é atingida. Em casa o ambiente torna-se sufocante e as conversas giram sempre à volta do mesmo. Não há paciência para nada, nem para ouvir a filha, que infelizmente apesar da tenra idade já viu acontecer demasiadas coisas à mãe e ao pai.

As frases "Acabaram com a minha vida" e "Nunca mais vai ser o mesmo" já fazem parte do dia a dia.

Quanto a mim, estou de pedra e cal reunindo forças onde não tenho. Falando com abc, enviando CV's, retomando contactos que podem ser úteis, mas até agora nada. Tento dar-lhe o apoio que me é permitido mas não faço milagres. Tenho receio por mim e pela minha saude e sinto-me perdida no meio desta "tempestade".

Enquanto isso, continuo a agradecer todos os dias por estar viva e peço forças para seguir em frente. Porque nada nem ninguém me proibe de sonhar!

Se souberem de alguém que ainda acredita nas pessoas com 40 anos, pf digam alguma coisa porque lá em casa existe alguém que quer trabalhar.

Obrigado!

5 de julho de 2010

Na praia com as amigas



E como já disse, este fim de senana foi dedicado às minhas amigas.

Depois do reencontro das "3 magnificas", sábado foi dia para as outras 2 magnificas, amigas também há mais de 20 anos. Conhecemo-nos em 1986 durante o curso e felizmente desde essa altura que mantemos contacto.

Desta vez, combinámos almoçar e passar o dia na praia com as respectivas familias. Levámos a miudagem toda e éramos mais que as mães. Almoçámos um peixinho grelhado em Setubal e depois fomos até à praia de Galápos. Os miudos estiveram sempre na água e divertiram-se imenso. Nós as 3 pusémos a conversa em dia e os homens falaram da crise e de futebol.

Já era quase noite quando saimos da praia. Jantámos um choco frito em Vendas de Azeitão e ainda fomos atè ao baile. De regresso a casa, a Carol e o Afonso (meu sobrinho) fizeram o soninho dos justos.

Foi um dia muito bem passado e os miudos adoraram. E nós as 3 rimos à brava! Adoro estas cágadas, nome de guerra!

A amizade é isto, simples e duradoura.

P.S. O lanchinho da Márcia era um espectáculo!

Amizade



Este fim de semana foi dedicado à amizade.

6ª feira passada fui jantar com 2 amigas que já não as via há quase 20 anos. Incrível não é! Parece impossivel como é facil as pessoas separarem-se sem haver razão aparente, apenas porque cada uma seguiu o seu rumo.

Fomos amigas durante anos e anos, éramos inseparáveis, passávamos férias juntas, fizémos loucuras incríveis, chorámos e rimos juntas. Toda a nossa adolescência foi vivida em comum, por isso temos memórias dos nossos tempos que nada nem ninguém apagará. Depois, veio o trabalho e a familia e durante anos deixámos de saber umas das outras.

Foi na festa de liceu que retomei o contacto com uma delas. Olhámos uma para a outra e gritámos" Mariana! Isabel! Não acredito!!!!! e abraçámo-nos como se fosse a ultima vez!

Depois o facebook fez o resto. Cruzámos contactos, adicionámos amigos e lá apareceu a Cristina. Fixe!

Sexta feira, tinhamos encontro marcado numa pizzeria do Vasco da Gama. Quando nos vimos, nem queiram saber, foi maravilhoso! Imaginem o que é 3 galinhas que não viam há séculos a porem a escrita em dia. Esquecemo-nos donde estávamos, viajámos pelos anos e fomos a milhentos sitios, relembrámos as nossas loucuras e alguns namoradinhos de ocasião, outros mais sérios.

Fechámos o restaurante e pedimos ao Senhor para registar aquele momento com as camaras fotográficas.Depois seguiu-se a esplanada de um bar, também fomos as ultimas. Depois demos continuidade à conversa já dentro do carro estacionadas num parque da Expo. E depois, ahh..., depois cada uma foi para a sua casa já perto das 6h da manhã, já quando raiava o dia.


E jurámos que nunca mais nos separávamos.

Foi mágico! A amizade é mesmo assim!

30 de junho de 2010

Pink gloves dance

O clip mostra o pessoal do St. Vicente Medical Center
(Providence, Portland, Oregon, USA)
a dançar para a consciencialização do cancro de mama.
Eles vão receber uma grande doação da empresa que produz as luvas cor de rosa, quando o vídeo no YouTube for visto milhões de vezes.

Por favor envie o link para que os seus amigos vejam o clip.
Não custa nada e sempre podem apreciar o filme.

O hospital fê-lo com pessoal do seu staff e alguns pacientes.
Vai receber uma determinada quantia dependendo do número de visualizações do vídeo, quantia essa que se destina exclusivamente à obtenção de fundos para a pesquisa e tratamento do cancro da mama.

1.000.000 de visitas ao Youtube para ver o vídeo é o mínimo para que obtenham esse donativo,
Vejam o vídeo no youtube que está muito engraçado.
Para isso sigam o link:

http://www.youtube.com/watch?v=OEdVfyt-mLw&feature=bulletin


21 de junho de 2010

Festa dos antigos alunos do Liceu Amadora

No sábado fomos a uma mega party para os antigos alunos do Liceu da Amadora no Estaleiro da Amadora. Já foi o 2º ano, mas o ano passado não cheguei a ir.

Foi fantástico mesmo. Adorei rever amigos de longa data, alguns há mais de 20 anos. Bebemos, não muito visto que dificilmente se conseguia alcançar o bar, dançámos, não muito porque não havia espaço e berrámos para nos fazermos ouvir, de tal forma que fiquei rouca nas horas que se seguiram.

Entre abraços e beijos ainda houve tempo para trocar numeros de telefone e fazer a promessa de manter o contacto.

Foi uma noite mágica. Deitei-me às 6h da manhã, já nem me lembrava o que era isso.

A vida é feita de momentos como estes e há que aproveitá-los com toda a intensidade.

Parabéns à organização que fez milagres para conseguir reunir tanto pessoal.

Para o ano sugiro o Pavilhão Atlantico!

17 de junho de 2010

Benilde...Até sempre doce amiga!

Ontem recebi uma triste noticia. Uma amiga ligou-me e disse: Já viste o email que te enviei. Não. Então vê e depois falamos.

A nossa doce Benilde partiu. O seu coração não resistiu e sucumbiu a tanto sofrimento.

À pequena Rafaela de apenas 4 anos, o pai Luis disse: Sabes, às vezes as pessoas têm doenças e não conseguem tratar-se aqui. Por isso vão para o céu para se tratarem. A mamã foi para lá!

Ao Luis um abraço muito forte e que consiga dar à Rafaela o amor que tanto merece e sei que vai conseguir.

À Rafaela desejo-lhe uma vida longa rodeada de amor e muito carinho. E lembra-te que a tua mamã adora-te e será sempre o teu anjo da guarda.

A ti Benilde, mereces finalmente descansar. Foste uma lutadora e uma referência para todas nós. Choramos por ti, no entanto sabemos que estás bem e serás uma estrelinha a brilhar para todas nós. Fica em paz.

Cuida de ti amiga.

A Benilde não chegou a completar 40 anos.
*

16 de junho de 2010

Exames de rotina

Hoje foi dia de mamografia e ecografia no HFF. Como devem calcular estava uma pilha de nervos.

No final dos exames, a médica disse que está tudo bem e isso é que interessa. Depois veio a descompressão e tinha a sensação de ter feito uma maratona.

Beijokas e fiquem bem

24 de maio de 2010

Viver em contra luz

Hoje quando cheguei ao trabalho e para variar tinha um rol de mails para abrir. No entanto, houve um apenas que mereceu toda a minha atenção e quero partilhá-lo convosco.

Por favor leiam, vejam o trailer e repassem-no a quem entenderem. A mensagem é simples mas diz tudo. E nós sabemos porquê.

Olá isabel branco,


O meu nome é João e faço parte da equipa do Vida de Qualidade. Há umas semanas, tive a oportunidade de participar num workshop, sobre PNL, onde me foi dado a conhecer o Trailer do filme CONTRALUZ. Filme que Fernando Fragata, realizador de «Sorte Nula», realizou nos EUA com Joaquim de Almeida, e que mereceu o louvor de António Feio na abertura do respectivo «trailer».

«Daqui a 100 anos a população actual do mundo estará morta. Os nossos familiares. Os nossos amigos. Os nossos filhos. Tu e eu. 7 mil milhões de seres humanos desaparecerão para sempre. Todos caminhamos em direcção à luz.
Até lá. Vive, em Contraluz!».
Esta é a premissa do novo filme de Fernando Fragata, que se pode ler no respectivo «trailer», precedida por uma mensagem de António Feio, a reconhecer o valor de se aproveitar cada minuto de vida, algo que parece estar subjacente ao tema da película.

Para ter uma Vida com qualidade é é necessário saber aproveitar cada dia... cada momento... não deixar nada por dizer... e nada por fazer.
Estas são, na minha opinião, as mensagens mais importantes transmitidas pelo trailer.


Por tudo isto e também porque a mensagem me tocou bastante, estou aqui a compartilha-la contigo.


Se da mesma forma que eu, achares que vale a pena passar a mensagem. Não deixes de o fazer, reencaminha para os teus amigos.

Clica aqui para ver o trailer

http://www.vidadequalidade.org/viver-em-contra-luz

Um forte abraço e vive a vida.
João Manuel
A vida é dura, mas eu sou mais ainda.

17 de maio de 2010

Vai uma corridinha?






No passado domingo foi mais uma corridinha da mulher com o propósito de angariar dinheiro para apoiar a compra de equipamento na prevenção do cancro da mama.

Eu e a Mafalda fomos juntar-nos ao grupo das amigas da APMCM e assim percorremos os 5km não a correr mas a dar à lingua. É muito bom o espirito que se vive nos eventos que apoiam causas tão nobres e talvez por isso as pessoas entregam-se de corpo e alma com uma alegria contagiante.

O dia estava bonito, com um sol que convidava a caminhada, de tal forma que no final quando cheguei a casa é que vi que tinha apanhado um escaldão à camionista.

No final recebemos a medalha de participação e dedicámos esta corrida a uma grande amiga nossa que está a travar uma luta desigual contra esta doença há já algum tempo, a nossa querida e jovem Benilde.

Esta medalha é para ti, Benilde!
Força amiga, gostamos muito de ti!
Que Deus esteja contigo!

12 de maio de 2010

Corrida da Mulher


Eu e a Mafalda vamos no grupo das amigas da APAMCM.

REGULAMENTO DA PROVA “EDP - Lisboa, a Mulher e a Vida”ARTIGO 1º
DENOMINAÇÃO
No dia 16 de Maio de 2010, pelas 11:00h, realiza-se a 5ª edição da prova denominada “EDP - LIsboa, a Mulher e a Vida ”, exclusivamente destinada a mulheres, organizada pelo MARATONA CLUBE DE PORTUGAL, com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa.
ARTIGO 2º
PARTICIPAÇÃO
Poderão participar mulheres com idade superior a 14 anos, a andar, a marchar ou a correr, desde que devidamente inscritas.

ARTIGO 3º
DISTÂNCIA E PERCURSO
A prova decorrerá numa distância de 5km, totalmente urbana, em piso de asfalto. A partida será na Rocha Conde de Óbidos (traseiras da discoteca "Dock's Club", prosseguindo pela zona das Docas, Museu da Electricidade, sempre junto ao Rio, e Meta junto à Torre de Belém.

ARTIGO 4º
INSCRIÇÕES
Preços: EUR 11,00 (onze Euros), que se destinarão à compra de aparelhos de rastreio do cancro da mama.
As Mulheres a quem tenha sido diagnosticado qualquer tipo de cancro ficam isentas do pagamento.
Prazos: As inscrições decorrem entre 6 de Abril e 15 de Maio.
Notas: A prova é limitada a 15.000 participantes / Não se aceitam inscrições no dia da prova.
Locais de inscrição:
• Agências Banif
• www.banif.pt (só para clientes Banif)
ARTIGO 5º
ENTREGA DOS DORSAIS
Os dorsais serão entregues entre os dias 13 e 15 de Maio, junto ao Museu da Electricidade (em Belém), das 10.00h às 20.00h. É imprescindível a apresentação do comprovativo bancário da inscrição (de uma agência BANIF). Caso se trate de uma inscrição “on-line”, através do www.banif.pt, deverá ser apresentado igualmente o comprovativo de inscrição.
ARTIGO 6º
ENTREGA DE “CHIPS”
Os “chips” serão entregues na SportExpo que decorre entre os dias 13 e 15 de Maio e deverão ser devolvidos à organização no final da prova, até porque ficam automaticamente inutilizados. Relembramos que o uso do chip só é obrigatório para quem se candidata a um dos prémios por equipas. As atletas individuais só devem solicitar o "chip" se quiserem efectivamente ter o seu registo de tempo.
ARTIGO 7º
ASSISTÊNCIA MEDICA
A organização contratará um serviço de assistência médica especializada (SAUDE CUF).
ARTIGO 8º
CLASSIFICAÇÕES
As classificações por equipas serão efectuadas mediante a soma dos pontos referentes aos lugares de classificação de todas as atletas que integram a respectiva equipa.
As classificações oficiais serão publicadas:
na Revista SPORTLIFE e em www.corridadamulher.com
ARTIGO 9º
DESCLASSIFICAÇÕES
O Serviço de Assistência Médica e os Juízes Árbitros, estão autorizados para retirar de prova qualquer atleta que:
1. apresente um mal estar físico.
2. não realize o percurso completo.
3. se apresente sem dorsal ou não o tenha visível.
4. dobre, oculte ou manipule a publicidade do dorsal.
5. manifeste um comportamento anti-desportivo ou se dirija à organização em termos inapropriados.
ARTIGO 10º
VEÍCULOS
Os únicos veículos autorizados a seguir a prova são os designados pela organização. É totalmente proibido seguir as atletas de automóvel, moto ou bicicleta, por razões de segurança.
ARTIGO 11º
PRÉMIOS E OFERTAS
Haverá prémios para as atletas vencedoras das diferentes categorias (desde que nelas inscritas) e medalhas comemorativas para todas as participantes que cortem a Meta.
No momento da entrega dos troféus, a organização poderá solicitar às equipas vencedoras um comprovativo de que pertencem às mesmas.
ARTIGO 12º
RESPONSABILIDADE
As atletas participarão no evento sob sua única e exclusiva responsabilidade, assumindo que no momento da inscrição e no dia da prova se encontram fisicamente aptas para o esforço inerente à prova. A organização assegura às atletas inscritas um seguro de acidentes pessoais, exigido pela Federação Portuguesa de Atletismo, com um capital por morte ou invalidez permanente, no valor de EUR 25.000,00 e despesas de tratamento até EUR 2.500,00, declinando toda a responsabilidade pelos danos que as atletas possam provocar durante a prova, a si próprias ou a terceiros, que não se encontrem abrangidos por este seguro.
ARTIGO 13º
DESISTÊNCIAS
A organização espera que todas as participantes terminem a prova. Todavia, em caso de desistência, a atleta deverá comunicá-lo e entregar o “chip” a um elemento da organização. Poderá, ainda, entregá-lo à organização na zona da Meta ou enviá-lo posteriormente (dentro do envelope RSF que é facultado na SportExpo) para o MARATONA CLUBE DE PORTUGAL, Bº Francisco Sá Carneiro, Avª João Freitas Branco, nº 10, Laveiras, 2760-073 Caxias.
ARTIGO 14º
RESOLUÇÃO DE DIFERENDOS
Em caso de diferendo, a organização reger-se-á pelo estipulado nos regulamentos da IAAF.
Nota: A participação na prova implica a aceitação deste regulamento.

http://www.corridadamulher.com/index.php?content=4

3 de maio de 2010

XI Encontro das Amigas do Peito - Foz do Arelho - 1 de Maio 2010

No passado sábado foi mais um dos encontros mágicos que já fazem parte da nossa vida. Desta vez, o local escolhido foi a Foz do Arelho e para nossa alegria esteve um dia ameno com o sol sempre a espreitar.

Eu e a Mafalda convencemos os maridos e lá fomos os 6 em direcção ao almoçinho prometido. Levámos a Carol porque achei que havia mais meninas para ela poder brincar, mas enganei-me, no entanto o Pastor Rolf foi a companhia da tarde.

Estendemos a manta no chão e sacámos dos morfes porque já se fazia tarde. A malta foi-se chegando e fomos partilhando experiências e duvidas com as mais novas e pondo a conversa em dia com as veteranas. Enquanto os homens se ocupavam com os jogos tradicionais e a Carolina corria e saltava com o Rolf, eu e a Mafalda e mais umas quantas desavergonhadas mostrávamos as mamas descaradamente para um rol de curiosas que teimavam em fazer daquele momento uma reportagem fotografica, talvez para mais tarde fazerem chantagem, qui ça?

Depois a Alda, o Zé Manel, a Manela Fellini, a D. Cacilda Cameron, a Isalenca e o perchista (n sei o nome do chavalinho de olhos azuis) presentearam-nos com um delicioso momento que nos fizeram chorar a rir. Aldinha querida, deixaste o teu Zé tão aflito!

Chegou a parte chata. Fui na conversa do Rui e gulosa como sou, fui diretinha ao salame que acenava para mim. Qual não foi o meu espanto quando logo na 1ª dentada, o raio do chocolate se colou ao céu da boca e teimava em lá ficar. O Rui insistia perguntando: Está bom, não está? Valeu-me alguma destreza e discretamente enquanto tentava articular uma palavras, ía engolindo devagar aquela coisa alienigena que quase me sufocava.

O sol foi-se afastando e chegava o frio do final de tarde. Depois foi o momento da foto da praxe que registou a boa disposição do grupo.

Comemos, bebemos, rimos e abraçámo-nos, mostrámos as cicatrizes e mamas cirurgicamente trabalhadas com expansor ou com fillet da barriga. Pusémos a conversa em dia e matámos as saudades.

Pena que o tempo foi pouco e não deu para falar com todas as meninas, mas ver todas já foi muito bom.

Um beijinho grande para todas e um abraço especial à Cris V.

Fica aqui algumas fotos que registam os melhores momentos.







20 de abril de 2010

Bull (shit)ying que é pénalti!

Leiam e tirem as vossas conclusões.

Simples e incisivo. Alguém que escreve assim sobre o estado das coisas, tem certamente a cabeça no sitio certo e é sem duvida um Homem de bom senso.

Rui Miguel Bernardo| 2010-04-19


Se calhar fui vítima de bullying ou fui bully, mas a verdade é que, sem terminologia técnica, limitei-me a ser pequeno até ser grande.

Começo - antes de começarem a chover pedras - por dizer que sou pai. Sou pai de duas crianças lindas, maravilhosas, únicas, especiais, magníficas e a quem nunca, mas mesmo nunca, quero que aconteça uma brisa de maldade que seja. Quero protegê-las dos maus, grandes e pequenos, como quero protegê-las das desilusões, dos desgostos de amor, dos mal formados, dos mal-amados, dos bandidos e de todos os que possam olhar de lado e pensar que sendo mais fortes, lhes podem fazer mal.

Feita a introdução, começo então a desfiar o que me passa pela cabeça quando ouço falar em bullying. E o que me passa pela cabeça são uma data de disparates - como seria de esperar.

Penso que os tempos mudaram, que o mundo mudou, que há 30 anos atrás o estado de coisas era substancialmente diferente. E penso no quanto se ganhou, no quão mais facilitada está a vida, quão mais democrática e livre e quão mais intensa. Mas penso também no quão mais pobre está tudo. De espírito, pobreza de espírito, quero eu dizer.

O que nos leva ao bullying em termos genéricos. Desde que me lembro, crianças mais pequenas fugiram a sete pés dos maiores. Desde que me lembro, os "grandes" roubavam a bola aos mais pequenos. Desde que me lembro, os maiores sempre levaram vantagem e os pequenos ou eram mais rápidos ou mais tarde ou mais cedo ia tocar-lhes qualquer coisa. Lembro-me de ser pequeno e contar ao meu pai isto e aquilo e lembro-me de ser grande. Se calhar fui vítima de bullying ou fui bully, mas a verdade é que, sem terminologia técnica, limitei-me a ser pequeno até ser grande.

E o que me faz hoje confusão é a capacidade que a sociedade tem de conseguir transpor para fora de casa toda a responsabilidade. Exigem-se leis, maiores e mais eficazes acções do sistema educativo, mais atenção por parte dos professores e, aqui e ali, uma maior atenção por parte dos pais. Maior atenção? Se tem que ser maior é porque há pouca e nesse caso, meus amigos, é ter mais. Sou pai, como disse, e não concebo essa noção do "dar mais atenção aos sinais". Não é normal - é aliás, perfeitamente anormal e lamentável - que uma criança de 12 anos se mande ao rio para acabar de vez com o tormento. Não se admite, não se compreende e dá vontade de chorar. Mas se o sistema educativo fosse mais eficaz, a legislação mais apertada e o controlo por parte da escola mais rigoroso, seria isso capaz de evitar a tragédia?

Podemos, como tantos têm feito, especular sobre a vida daquela criança. Sobre o seu comportamento, o dos colegas, dos professores e dos pais. Podemos mas, pela parte que me toca, não o farei. Ninguém deve perder um filho muito menos uma criança. Não sei se já tinha dito mas sou pai.

Mas também fui filho. Dos pequenos e dos grandes. Brinquei na rua sem supervisão de um adulto, apanhei e atirei pedras, paus e o que mais houvesse. Subi a árvores e andei de bicicleta sem capacete. Corri as ruas do meu bairro de manhã à noite. Sujei-me - muito - e fiz sangue. Nas pernas, nos braços, nos joelhos, nos joelhos, nos joelhos (nos joelhos fiz mesmo muito sangue), na barriga e na cabeça. Fiz trinta por uma linha e safei-me. Mudei de passeio vezes sem conta e fui dar voltas maiores para não ter que passar aqui ou ali. Fazia parte. Desenrascava-me como podia e sempre, mas sempre, com o objectivo de não levar na corneta, não ficar sem a bola, sem o estojo novo ou a mochila. Esse era o objectivo. Se desse para cumprir, óptimo, senão, queixinhas ao pai que resolvia a coisa o melhor que sabia e podia.

Mas isto quando era pequeno. Já em grande, também devo ter enfernizado a cabeça a uns quantos miuditos mais pequenos, também lhes devo ter tirado a bola quando tinham que ir para casa só para chatear, para dar uns toques ou até que o pai, diligente, eloquente e muito maior que nós, aparecesse.
Tudo isto fez parte do meu processo de crescimento. Tudo isto fez com que percebesse que tive o melhor pai do mundo (que eu quero ser para os meus filhos) que me defendeu e me ensinou a defender (e a correr como o diabo também). O pai que me proibiu de levar brinquedos caros (que eram poucos) para a escola, porque podiam roubar. Que me deixava levar o estojo fixe com íman para a escola mas só de vez em quando. O pai que me deixava levar uma bola para a rua mas das foleiras porque a de cauchu, só quando ia jogar comigo. Sim, o meu pai ia jogar à bola comigo, ia brincar comigo, passava tempo comigo. Lia os sinais em regime diário.

Tudo isto fui eu.

Não havia sistema educativo vigilante nem responsabilização da ausência de leis adequadas. Havia filhos e havia pais. Havia casa e havia a rua.
Não havia playstations e wiis a partir dos 5 anos, jogos de porradaria em barda a partir dos 7 (ou antes que o puto até tem jeito). Havia telejornais mas lá em casa, isso era coisa de adultos e à hora do jantar conversava-se e ouvia-se música. Cá em casa também. Não havia palavrões à minha frente e cá em casa, é assim. Não havia discussões inflamadas e cá em casa, só no Benfica-Sporting se houver um pénalti não assinalado.

Aos meus filhos dedico todo o tempo que posso e não confio que seja a escola a ter que dar-lhes as ferramentas todas. Terá que dar algumas garantidamente mas não todas. Sou eu quem tem que estar atento aos sinais e não posso esperar que sejam os sinais a bater-me na testa.

Não sou melhor nem pior que os outros pais. Sou assim simplesmente.
Por isso toda esta discussão acerca do bullying me faz soltar um bullshiting.
Psiquiatras, psicólogos, pedopsiquiatras, pseudo-intelectuais, bananas, meninos agredidos e agressores; já todos tiveram os seus 15 minutos de fama e a ver pela entrevista do Sousa Tavares, cheira-me que era rapazinho para ter dado uns sopapos nos putos mais pequenos.

Porque hoje, admito, é mais fácil ligar a televisão aos fins-de-semana de manhã e dormir mais um bocadinho do que sair do quentinho sábado à mesma hora de segunda. Uma pessoa anda cansada. Os dias são cansativos. São reuniões atrás de reuniões, projectos atrás de projectos, portátil em casa (eu e ela) em estilo call-center até às tantas, às vezes dia sim, dia sim. É cansativo e exigente. E ser pai? Haverá maior responsabilidade? Haverá tarefa mais hercúlea? Haverá maior trabalho que conduzir uma criança (duas ou mais) até que saiba andar sozinha?

Dá uma trabalheira desgraçada. Há dias que apetecia mesmo, mas mesmo mesmo, enfiá-los na máquina de secar (que tem o tambor maior) e dar-lhes só umas voltas a ver se acalmavam. Dá vontade mas cá em casa a máquina é ambivalente e o tambor pequenino. Nem à vez lá cabiam.

E de uma penada é isto. Que o bullying de hoje são "os grandes" de ontem e de que os sinais de ontem são os mesmos de hoje. E que, às vezes, o bullying começa onde menos se espera: em casa.

Segredos? Não há segredos. É estar. "Passar tempo" em vez de "perder tempo". "Brincar com" em vez de os "deixar a brincar". "Falar com" em vez de "ouvir qualquer coisa" em ruído de fundo. "Ouvir" o que têm a dizer e "perceber" o que pensam, "como" pensam e "porque" pensam assim. É abrir os olhos.
Porque de olhos abertos tanto se percebe uma criança infeliz como um pénalti clarinho muito para lá da linha da grande-área.

19 de abril de 2010

Cinzenta, como o tempo


O fim de semana passado foi chato, desde 6ªf. que andava com imensas dores na garganta, tinha arrepios de frio, queria aninhar-me e ficar ali sem ver ninguém. E foi isso que fiz. A Carol passou o fim de semana com o Tios e o primo e eu fiquei na cama a dormir e ver televisão. Não é um programa genial para um fim de semana, mas foi o que se pôde arranjar. Pelo menos recarreguei baterias e tratei da minha dor de garganta.E eu sei donde veio esta constipação. Sou completamente alérgica ao ar condicionado e na semana passada durante um curso no exterior, tinha um desses aparelhómetros mesmo atrás de mim. Claro, esta flor de estufa ressentiu-se. Agora resta-me eliminar a tosse e a expectoração.

15 de abril de 2010

TAC Campaign - 20 year Anniversary retrospective montage "Everybody Hurt...



!...BRUTAL...!

PARA VER...REFLECTIR... E PENSAR QUE NÃO ACONTECE SÓ AOS OUTROS.

Vale a pena ver até ao fim...

Uma das maiores empresas de marketing do mundo, resolveu passar uma mensagem para todos, através de um vídeo criado pela TAC (Transport Accident Commission) e que teve um efeito drástico na Inglaterra. Depois desta mensagem, 40% da população da Inglaterra, deixou de usar drogas e de consumir álcool pelo menos nas datas comemorativas, não temos este tipo de iniciativa aqui em Portugal. Espero que todos assistam, mesmo que não se alcoolize ou use algum tipo de drogas, e que reflictam e passem para os seus contactos. Oriente seus filhos, sobrinhos, amigos etc...

PENA QUE EM PORTUGAL NÃO SE FAÇA NADA DESTE GÉNERO, ALIÁS SERIA SEMPRE PENSADO COMO UM CUSTO EXURBITANTE. MAIS VALE PAGAR MONTANTES MEGALOMANOS AOS GESTORES PUBLICOS. DÁ MENOS TRABALHO, É MANCHETE E ATÉ ACABA POR SER CHIQUE! ESTE PAÍS TEM VISTAS CURTAS, NÃO HÁ NADA A FAZER!

12 de abril de 2010

3 anos depois

Fez hoje 3 anos que fui mastectomizada do lado direito.

Não quero pensar muito nem pouco sobre isso. Aliás para dizer a verdade só agora estou a falar no assunto, estive tão envolvida numa formação externa a durar 3 dias, que não me ocorreram cenas do passado. E ainda bem!

Em Novembro passado fiz a reconstrução. Se eu podia viver sem a mama, podia, mas não era a mesma coisa!

Agora quero viver olhando para o futuro acreditando que cada dia tem um brilho especial. E a minha bandeira, a minha força motriz é sem dúvida uma flor chamada Carolina.

A ti meu amor, obrigado pela luz que me dás todos os dias!

Gosti daqui até à lua!

9 de abril de 2010

Em baixo de forma


Desde que vim do Alentejo, isto é depois da Pascoa que nunca mais fiquei bem. Comecei com náuseas e dor de cabeça. Ainda vim trabalhar na 3ªf mas com muito sacrificio. Ontem acabei por ficar em casa, meti-me na cama com saco de agua quente porque tinha arrepios de frio, diarreia e muitas muitas nauseas. Chamei a médica e disse -me que deve ter sido uma descarga biliar porque já nõa tenho vesicula e não devia fazer avarias. Os intestinos não têm parado de rosnar. Tenho andado a chá há 3 dias e já perdi uns kilitos.Estou palida e fraquinha mas apesar de tudo já me sinto um pouco melhor, pelo menos as nauseas já não as sinto tanto. Sendo assim, hoje já quis vir trabalhar. Casa não é coisa para mim.

31 de março de 2010

Parabéns Filhota!!!!!






KIDZANIA - sala dos adultos - 31 Março 2010

É aqui que me encontro neste preciso momento depois de despachar na maternidade da cidade Kidzania a minha filhota e as duas melhores amigas.

Ontem a Carol fez 8 anos e houve um jantar para a familia e amigos. No Colegio houve a festinha tradicional com os colegas e o respectivo bolo com as 8 velinhas.à noite dormiram as 2 amigas na mesma cama e foi risada até à 1h da manhã.

Como não acho piada nehuma ao Funcenter nem coisas do género, até porque ela já lá fez outras festas, optámos pela Kidzania. Ela já cá tinha vindo e adorou, por isso achei que ía gostar de vir com as melhores amigas. Aqui ela pode dar asas à imaginação e desfrutar das dezenas de profissões à disposição. Espero que se divirtam e acredito que sim, porque isto de facto é uma loucura. Muito engraçado mesmo, vale a pena.

Parabéns meu amor, que sejas muito feliz! E já sabes, a mãe e o pai adoram-te!

P.S. Bem, agora vou dar uma volta pelo Dolce Vita Tejo e ver umas montrinhas, gaja que é gaja não perde esta oportunidade!

26 de março de 2010

Hora do Planeta 2010


Apagar as luzes por uma hora - a Hora do Planeta - é não só contribuir para a preservação do nosso Planeta, como fazer parte da maior plataforma voluntária de cidadãos contra as alterações climáticas.

Pelo segundo ano consecutivo, Portugal adere à Hora do Planeta e os resultados têm sido além das expectativas!

Já temos confirmadas oficialmente as cidades de Lisboa, Faro, Loulé, Águeda, Aveiro e Vila Nova de Famalicão. E todos os dias várias cidades e vilas do país procuram saber como aderir a este movimento que este ano já está a ultrapassar os números atingidos em 2009.

Monumentos nacionais (como: Cristo-Rei, Castelo de São Jorge, Museu da Electricidade e Padrão das Descobertas em Lisboa; Arco e Muralhas da Cidade de Faro; Biblioteca Manuel Alegre, em Águeda; ou o Mosteiro do Landim, em Vila Nova de Famalicão) engrossam a lista de mais de 70 monumentos que em todo o mundo irão ficar às escuras em nome desta mensagem poderosa da WWF e da Hora do Planeta: ajudar a manter o nosso Planeta Vivo!


O Planeta conta consigo e com milhares de empresas e organizações nesta luta para marcar a diferença e fundamentar uma mudança real!


As expectativas para a HP2009, eram elevadas, mas foram superadas em todo o mundo de forma estrondosa!

Durante uma hora mais de 4 mil cidades, das quais 11 cidades portuguesas, em 88 países, 21 mil empresas e o estrondoso número de 1 200 milhões e pessoas em todo o mundo deram o seu voto ao Planeta.

A Hora do Planeta em 2009, alargava sua mensagem a Copenhaga, onde decorreu a Cimeira das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas - de onde deveria sair um novo acordo climático.

Os olhos estavam postos na cidade dinamarquesa, nos líderes mundiais e num Acordo Climático que fosse ambicioso, justo e realmente eficaz. Os países mais desenvolvidos, de quem se esperava um progresso em acções sustentáveis, minaram este objectivo.

E esta atitude vai ter repercurssões no futuro de todos nós!

Mas não é com críticas que mudaremos a situação. É com acções! E acções construtivas e em forma de celebração. Uma celebração por um Planeta Vivo!

Una-se à Hora do Planeta 2010 e marque a diferença!

Contra o aquecimento global, uma acção global.
Não lhe estamos a pedir muito: é só mexer um dedo e... Desligar a luz!

HORA DO PLANETA
27 Março - 20H30 ás 21H30

22 de março de 2010

Projecto Luz na Antena 1


Ainda estou a ouvir-vos enquanto escrevo este post. E de facto julgo que se torna imperioso passar esta informação de uma forma alargada.

Está a ser muito útil ter estas informações, até porque ainda sabia relativamente pouco sobre este projecto. Concordo contigo Nela, quando dizes que se torna "mais facil" falar do cancro desta forma aberta, no fundo é uma catarse que fazemos para nos ajudar a lidar com a doença.

E tenho a concluir que vocês são de facto seres excepcionais que abdicam do vosso tempo para fazer algo tão grandioso.

Vou colocar também no meu blog.

Obrigado por existirem! E obrigado à Claúdia que, onde quer que esteja, acredito que está feliz por saber que tanto contribuiu para tudo isto. Este foi o seu legado. A nós cabe-nos dar continuidade ao seu trabalho.

Afinal "MORRER É SÓ NÃO SER VISTO".

Um beijo a todas.

http://tv1.rtp.pt/multimedia/index.php?prog=2754 (procurem o programa do dia 9 de Março)

19 de março de 2010

Raça desgraçada


Depois de ter falado com o Hospital da Luz para saber o que fazer para enviar relatorio de exame e posteriormente falar com o medico, segui escrupulosamente as indicações fornecidas pela administrativa. Supostamente ele iria ler o dito relatório no final do dia e falaríamos ao telefone.

Acabei de falar com o Hospital da Luz e a resposta da administrativa foi: "Este médico não atende pessoas ao telefone. Terá que marcar uma nova consulta".

Resultado terei que pagar mais 90€ para me dar o nome do raio do medicamento. E possivelmente teria que pagar mais 90€ dali a 1 mês para ver se o medicamento foi eficaz.

Situações como estas deviam ser denunciadas. Estes gajos que não têm outro nome deviam falar com as pessoas no final das consultas. É o minimo para alguém que fez juramento: "Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém".

Pena é que nem todos nasceram para isto. Sabe melhor fazer disto um negócio chorudo.

Benditos sejam os bons!

18 de março de 2010

As minhas dobradiças


Desde o ano passado, mais ou menos na altura em que recomeçei o trabalho, começei a sentir um ardor nas articulações do sacro iliaco, principalmente quando estava sentada e é nessa posição que passo a maior parte do tempo (ossos do oficio). A parte boa é que ao andar passava-me. À noite colocava saco de água quente, aliviava mas não passava. Até que fiz TAC, tudo ok.
Este ano no inicio do ano, após uma hora de ginásio voltei a sentir o tal ardor principalmente do lado esquerdo, algumas vezes até à anca do mesmo lado. E o saco de água quente não alivia. Cheguei a fazer 6 injecções de Voltaren e Relmus, mas nada. Como é óbvio, a cabeça começa a carburar mal. Fui a um ortopedista que me prescreveu uma série de exames, cintigrafia, RM e RX.

Ontem recebi finalmente o resultado da cintigrafia óssea que tanto me deixou ansiosa. O técnico tinha-me descansado, no entanto ver para crer.

Está tudo bem, excepto a parte que diz inflamação poliarticular ligeira, mais acentuada na regiao sacro iliaca. Ora aí está, ninguém se queixa sem ter razão.

Penso que esta porra se deve aos tratamentos agressivos que fiz, pois nunca tinha sentido este tipo de coisa.

Agora vou consultar um reumatologista para saber o que tomar.

Se precisarem de médicos de várias especialidades, posso facultar-vos, no meu tlm 70%dos contactos pertencem a essa estirpe. Às vezes chego a pensar... ainda vou ter um caso com um. Só pode!

11 de março de 2010

Projecto Luz - "Apadrinhe um amigo"


Renovo aqui a mensagem do post da nossa amiga Manuela, uma das fundadoras do Projecto Luz.

Leia e veja como pode ser "Padrinho".
_____________________________________________________________________________________
O Projecto Luz - Associação Portuguesa de Apoio A Doentes Oncológicos é uma Associação particular, sem fins lucrativos, que tem como missão apoiar o doente oncológico e os que lhe estão próximos para melhorar a sua qualidade de vida.
Os voluntários que fazem parte da Associação são pessoas que, pela sua experiência de vida, estão sensibilizadas para esta problemática.
Temos voluntários das áreas profissionais de enfermagem oncológica e psicologia.
Estamos a lançar o Projecto “Apadrinhe um Amigo”.

Temos uma rede de “padrinhos”, doentes em remissão, que estão disponíveis para apoiar, orientar, conversar, dar esperança a novos doentes com a mesma patologia. Não se tratando de um substituto das orientações médicas ou psicológicas dos profissionais, o objectivo é dar apoio ao doente oncológico, um ombro amigo, uma palavra, um espaço onde ambos possam partilhar a sua experiência e fazer uma catarse dos seus medos e ansiedades.
O padrinho, doente em remissão, poderá falar da sua experiência, da sua luta e da sua vitória, sentindo-se útil ao poder ajudar alguém que está agora a passar por algo que lhe é muito familiar.
O afilhado tem alguém que está disponível para o ouvir, que compreende os seus medos, problemas e dificuldades, ao mesmo tempo que vê no padrinho um caso de sucesso, ou seja, que é possível vencer.
Quer partilhar a sua Experiência? Quer falar com quem vive/viveu o mesmo problema?


Quer ser um Padrinho no Projecto Luz?


Por favor, contacte-nos através do nosso email ou telefone.

Sozinho, o percurso é mais difícil...
­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­_________________________________
Telemóvel: 96 477 57 57
Correio electrónico: projluz@gmail.com
Página Web: http://www.projectoluz.com

9 de março de 2010

Exames


Ontem foi dia de exames, logo foi dia de nervos. E que nervos! Estava um dia de fugir, o que também não ajuda nada.

De tal forma que quando cheguei ao trabalho já depois do almoço, escorreguei no corredor e dei um tombo que entoou por toda a empresa.

Levantei-me, sacudi-me( como os dogs) e fugi antes que alguém me visse. Afinal estavam todos a dormir e ninguém deu por nada.O rabo ficou dorido e ainda me custa a sentar. Por isso o dia da Mulher passou-me despercebido. Outros valores se levantam.

No entanto aqui deixo uma mensagem que homenageia todas as mulheres, principalmente aquelas que já partiram.

Trabalhadoras. Amigas. Confidentes. De coração aberto. Lutadoras. Que permanecem no meu coração para todo o sempre!

Apelo para encontrar dador de medula compatível




Bebé de oito meses luta contra leucemia in Correio da Manhã

A vida da Sofia "poderá depender de si". Este é o apelo lançado por familiares e amigos de uma bebé de oito meses, a quem foi diagnosticada leucemia, para encontrar um dador de medula óssea compatível.
Para poder "continuar a viver" a menina, residente no concelho de Condeixa-a-Nova, necessita de um transplante. "É a sua única hipótese", refere Ana Bernardes, amiga da família e dinamizadora da campanha, surpreendida com a quantidade de pessoas que já responderam.
Sofia Domingues Fonseca aparentava ser uma menina saudável até que, de repente, tudo mudou com a descoberta da doença, há dois meses. "A bebé estava no infantário e ligaram à mãe a dizer que estava febril e tinha vomitado", recorda Ana Bernardes. Foi encaminhada para o Hospital Pediátrico de Coimbra, onde os médicos estranharam a "barriga muito dilatada" e confirmaram as piores suspeitas. Sofia tem leucemia mieloide crónica, uma doença rara em crianças.
O drama dos pais, Margarida Domingues e Francisco Fonseca, de 36 anos, começou nesse momento. "A bebé tem de fazer quimioterapia todos os dias. A mãe, que trabalhava, está em casa com ela e só sai duas vezes por semana para a levar ao hospital. É um sofrimento enorme para todos", descreve Ana Bernardes.
Segundo a amiga da família, a menina só poderá ser transplantada quando tiver um ano, mas a campanha para encontrar um dador compatível já está em marcha. Quem quiser ajudar a Sofia deve contactar o Centro de Histocompatibilidade nos Hospitais da Universidade de Coimbra.

QUEM PODE AJUDAR
Ter entre 18 e 45 anos, pesar mais de cinquenta quilos, nunca ter recebido uma transfusão de sangue, não sofrer de doenças crónicas e não estar já inscrito na base de dados: são estas condições exigidasa quem quiser ser dador de medula óssea.
ONDE AJUDAR
Se cumprir estes requisitos,apenas tem de se dirigir aos centros de histocompatibilidade existentes em Lisboa (telefone: 217 504 100), no Porto (telefone: 225 573 470) e em Coimbra(telefone: 239 480 700/719).
AMOSTRA DE SANGUE
Para verificar se é compatível com as inúmeras crianças que precisam das suas células para sobreviver basta a recolha de uma pequena amostra de sangue. Não dói nada.


Não vire as costas! Não ponha a cabeça na areia para fingr que não vê. Olhe de frente, porque infelizmente é esta a realidade, fria e cruel!

Ajude porque esta é a sua obrigação, como ser humano!

Ajude a salvar esta bébé!