24 de setembro de 2009

Descansa em paz Nicha!



Hoje quando passava pelos blogues das minhas amigas, tive a triste noticia que a Nicha, a irmã de alma da Nela tinha partido.

Senti como sinto sempre que alguém parte, uma dor no coração e uma enorme revolta. Mais uma vida que deixou de ser vivida e outros choram a sua perda. Buraco vazio que fica, sem que nada nem ninguém possa ocupar.

Mas insisto em acreditar que nada é finito, a energia está em nós e ela não acaba. Será transportada para uma outra dimensão e nessa sim, seremos bem mais felizes. É lá que está a Nicha, a Aida, a Claudia, a Anixinha, a Buba, a minha mãe e tantos outros.

A todas vós queridas, descansem na mais profunda paz!

A ti Nela e a vós entes queridos da Nicha um abraço forte, porque as palavras não dizem nada e só o tempo pode atenuar a dor.

Aqui ficam as tuas palavras:

"Quero usar o tempo que demorar. Agora o tempo é importante para mim, digo-me. Não que deva passar depressa ou devagar, mas que seja apenas tempo, que seja algo no interior do qual eu viva e que possa preencher com coisas físicas e actividades através das quais o possa dividir, de modo a que cresça e que seja diferente para mim e que não desapareça quando eu não estiver a olhar."

Per Petterson, Cavalos Roubados.

Um beijo para ao céu!