30 de junho de 2009

Viver com assimetrias

Quando me retiraram a mama direita não tive tempo para reagir. Queria ver-me livre da doença e quanto mais depressa aquele peso saísse dali melhor seria para mim.

Recordo-me ainda do dia em que cheguei a casa vinda do hospital. Disse à minha filha que queria falar com ela, na altura tinha 5 anos.

-"A mãe tem uma coisa para te dizer. Sabes,...a maminha da mãe estava doente e teve que ir ao hospital para os doutores tratarem dela.
O penso era grande e tapava toda aquela zona, mas a curiosidade dela era ainda maior.
-Posso ver, mãe? Posso tocar?
-Sim, claro.
-E como é que eles tiraram a maminha? Puxaram? Foi com uma faca?
-Mais ou menos. Fizeram um corte pequenino e depois puxaram devagarinho.
-Doeu muito?
-Não, a mãe estava a dormir, não sentiu nada.
-E agora vais ficar sem maminha?
-Os médicos ficaram a tratar dela, ela está numa caminha e quando ela estiver boa vamos lá buscá-la.
-Quando é que está boa?
-Ainda não sabemos. Os médicos depois dizem à mãe.
-Vai demorar muito?
-Não! Vai ser rápido, vais ver.
-Está bem, mãe!"

E foi desta forma que contei à minha filha de 5 anos que a mãe tinha cancro da mama e que lhe tiraram a mama. Obviamente que a palavra cancro nunca apareceu.

E ela esperou, esperou e já passaram 2 anos.

Todos os dias faz a mesma pergunta:
-É hoje que vamos buscar a maminha?

-Não filha, ainda não é hoje. Ela ainda está ser tratada. Não te preocupes que já falta pouco.

Percebo que ela se sente enganada pela sua própria mãe. Porque eu "prometi-lhe" que seria para breve e ela acreditou tal como eu acreditei e esse dia tarda em chegar. Não é justo, pois não?

Como é que se explica a uma criança de 7 anos que neste país só os que têm dinheiro é que têm a maminha rapidamente?
Como é que se explica que para a mãe ter a maminha tenha de fazer parte das listas de espera dos hospitais de 4 ou 5 anos ?
Como é que se explica que a mãe não está a enganá-la, apenas a quer proteger e involuntariamente acaba por entrar no jogo da mentira?
Como é que se explica que a mãe tenha tido uma doença que lhe roubou a maminha, mas isso não faz dela diferente das outras mães?

Expliquem-me também a mim, porque eu sou loira e pelos vistos muito burra!

10 comentários:

Lina Querubim disse...

Olá Imel
não tem explicação...é o País que temos!
Pena que muitas filhas e filhos tenham que passar por isso...já é complicado para a nossa cabeça quanto mais para uma criança!
Esperar é a palavra...beijokas

Nela disse...

Tu não és loura! Isso são madeixas...
E explicações não há muitas, de facto, a não ser a dura realidade do país em que vivemos...
Mas as crianças são surpreendentemente sábias e talvez lhe possas explicar o que são listas de espera na mesma linguagem suave em que lhe explicaste que tinhas cancro.

Beijinhos Linda

Mrs. Sea disse...

Não és loira, nem burra, porque sabiamente soubeste explicar a situação há 2 anos e agora vais com certeza saber explicar-lhe que a maminha está quase boa, apenas só à espera da sua vez para ser entregue à sua dona! :)
Bjins com admiração!

Isa disse...

olá imel.Infelizmente, acontece por esse pais fora.
Tive a sorte de 2 anos depois, ter sido operada.O tempo de espera foi de um ano, desde que me inscrevi, entre consultas exames e operação.O que na realidade do serviço publico é muito bom.Ha-de chegar o dia.Esperemos que breve.Que a Carol, vai dizer a mãe, valeu a pena a espera.
Estou contente e a minha mae, tb.
um beijinho grande

Loulou disse...

Imel, minha querida, felizmente, eu tive a sorte não viver com esse tipo de assimetria. Não consigo realmente entender a demora para tal cirurgia.
Concordo com a Manuela. Tenta falar com a Carol, que já se viu que é uma miuda esperta, o que são listas de espera. Talvez aí ela entenda melhor.

Beijocas grandes

Mimas disse...

Tenta dar-lhe como paralelo por ex. quando ela tem que esperar no pediatra, ou quando foram ao concerto já nao me lembro de quem se calhar tiveram que estar numa fila à espera, ou outra situacao que te lembres e depois diz-lhe que nos adultos essa espera, tal como tudo, é (um bocadinho!) maior...mas que há-de chegar tal como ela acabou por ver o concerto e tal.

Bjs

de Bizet disse...

Deixo-te um beijo.
Carmen.

Liliana disse...

Eu sou por natureza muito critica do nosso sistema nacional de saúde, pelas razões que todos tão bem sabem, e de facto não se entende.

Ainda "pensamos" que a parte estética não é importante, tretas!! É tão ou mais importante do que lutar pela vida. Eu só para o ano é que tenho a primeira consulta (só fazem ao fim de 2 anos, disse-me o médico)e como já vai fazer um ano que a minha maminha se foi ainda vou ter de esperar mais um ano PARA DEPOIS ENTRAR NA LISTA DE ESPERA...está muito doente o nosso sistema de saúde, muito doente!!

Beijinhos

Cristina J. disse...

Imel, de tudo o que já nos deste a conhecer da tua filhota percebemos que ela é uma menina inteligente, que absorve as respostas que lhe dão.

A Carol,vai entender que tu não lhe mentiste, não a enganaste. Tentaste protegê-la, isso sim. Não te sintas culpada por não lhe poderes explicar uma coisa que não podes. Depois de tantas coisas que já tiveste que enfrentar,tenta não sentir essa culpa, só te causará mais tristeza.

Eu tentaria explicar-lhe, na sua linguagem, o que realmente se passa: que depois da mamã houve muitas Sras também a ficar com a maminha doente. Todas elas tiveram que deixá-la no hospital e agora os Drs estão a tratar de todas, mas que são tantas e os Drs tão poucos que vai demorar mais tempo do que tinhas pensado.
Explica-lhe que até a mamã achava que iria buscar a maminha muito antes, mas tem que esperar, não pode fazer mais nada.
Desta forma não foges ao que lhe disseste antes e não tapas a espera que ainda tens pela frente (queira Deus que não!).

A Carol gosta tanto de desenhar, e expressa-se tão bem no desenho, que tal desenhares enquanto falas?! Pode ser uma hipótese...

Nós... nada podemos fazer, só dar uma palavra e estar solidárias com a tua ansiedade e revolta.

Bjinhos para as duas

Alda disse...

Bom post Imel
O Estado assim está a poupar! São vários anos à espera... tantos que muitas mulheres morrem entretanto, e aí, vão poupar nas cirurgias... Só pode ser por isso... É uma vergonha!!!
Eu nem para a consulta ainda fui chamada, quanto mais para a cirurgia...
Beijinhos