30 de junho de 2009

Viver com assimetrias

Quando me retiraram a mama direita não tive tempo para reagir. Queria ver-me livre da doença e quanto mais depressa aquele peso saísse dali melhor seria para mim.

Recordo-me ainda do dia em que cheguei a casa vinda do hospital. Disse à minha filha que queria falar com ela, na altura tinha 5 anos.

-"A mãe tem uma coisa para te dizer. Sabes,...a maminha da mãe estava doente e teve que ir ao hospital para os doutores tratarem dela.
O penso era grande e tapava toda aquela zona, mas a curiosidade dela era ainda maior.
-Posso ver, mãe? Posso tocar?
-Sim, claro.
-E como é que eles tiraram a maminha? Puxaram? Foi com uma faca?
-Mais ou menos. Fizeram um corte pequenino e depois puxaram devagarinho.
-Doeu muito?
-Não, a mãe estava a dormir, não sentiu nada.
-E agora vais ficar sem maminha?
-Os médicos ficaram a tratar dela, ela está numa caminha e quando ela estiver boa vamos lá buscá-la.
-Quando é que está boa?
-Ainda não sabemos. Os médicos depois dizem à mãe.
-Vai demorar muito?
-Não! Vai ser rápido, vais ver.
-Está bem, mãe!"

E foi desta forma que contei à minha filha de 5 anos que a mãe tinha cancro da mama e que lhe tiraram a mama. Obviamente que a palavra cancro nunca apareceu.

E ela esperou, esperou e já passaram 2 anos.

Todos os dias faz a mesma pergunta:
-É hoje que vamos buscar a maminha?

-Não filha, ainda não é hoje. Ela ainda está ser tratada. Não te preocupes que já falta pouco.

Percebo que ela se sente enganada pela sua própria mãe. Porque eu "prometi-lhe" que seria para breve e ela acreditou tal como eu acreditei e esse dia tarda em chegar. Não é justo, pois não?

Como é que se explica a uma criança de 7 anos que neste país só os que têm dinheiro é que têm a maminha rapidamente?
Como é que se explica que para a mãe ter a maminha tenha de fazer parte das listas de espera dos hospitais de 4 ou 5 anos ?
Como é que se explica que a mãe não está a enganá-la, apenas a quer proteger e involuntariamente acaba por entrar no jogo da mentira?
Como é que se explica que a mãe tenha tido uma doença que lhe roubou a maminha, mas isso não faz dela diferente das outras mães?

Expliquem-me também a mim, porque eu sou loira e pelos vistos muito burra!

17 de junho de 2009

Exames rotineiros

Como já devem ter percebido, quando não digo nada é porque ando com alguma preocupação. Pois é, primeiro foram as dores nas articulações da bacia, andei doida e meti uma semana de baixa para descansar e fazer exames. Depois foi a mamografia e eco de revisão. Parece que está tudo bem. O que é facto é que sempre que se aproximam estas datas, hiberno, fujo, escondo-me, alheio-me de todo o mundo e não quero saber de mais nada. É lixado ter que ser assim.

O que anteriormente aceitávamos como normal, dor, ardor, picadas, pontadas e afins, agora tomam umas proporções loucas e ter que conviver com isto não é nada fácil.

5 de junho de 2009

Mensagem do Dia da Mãe

Ainda não tinha postado aqui a mensagem que a Carol fez para mim no Dia da Mãe.

Eu também te amo muito minha Flor!



Sempre!

4 de junho de 2009

A Mafalda já está cá fora

A nossa Mafalda já está cá fora desde 3ª feira, mas eu ainda não tinha tido tempo para vir aqui dar a novidade. É verdade, aquela é dura como tudo, esteve internada apenas 5 dias, quem diria depois daquela cirurgia tão violenta. Tenho falado com ela e nem vos conto, já anda a fazer avarias como se nada tivesse acontecido. Quando saiu do hospital enfiou-se num café da rua dela, toda curvada e com o braço todo negro, estão a ver a figura, né... e pediu um café. Acho que o pessoal ficou todo a olhar para ela, não era para menos. Ontem foi passar a tarde numa esplanada, anda de carro, come e bebe tudo o que lhe apetece, enfim acho que este fim de semana vai andar na montanha russa. É doida varida, por isso é que gosto tanto dela!!!! A verdade é que se não fosse assim não tinha piada nenhuma. Está super contente com a maminha nova, os pormenores da coisa, ela conta-vos mais tarde. Sim, porque com ela é tudo diferente, a técnica foi inovadora e super original, mas não dá para contar aqui.

Quanto a mim, resolvi por uns dias de baixa, para tentar perceber o que se passa com as articulações da bacia. Tenho andado com sensação de ardor nesta zona durante todo o dia, só alivia com o saco de água quente e emplastros, mas não desaparece. Os medicos dizem que isto é consequência dos tratamentos agressivos e que devo para manter a calma. É fácil dizer-se isto quando não se passa pelo mesmo.

1 de junho de 2009

Corrida da Mulher 2009






































Corrida da Mulher 2009











Ontem foi mais uma Corrida da Mulher, éramos só 15000, segundo os nºos oficiais.

Combinei com as meninas da Associação e encontrámo-nos em Santos. Demos corda aos calcantes e aproveitámos os 5km para pôr a conversa em dia. Estava um sol abrasador, mas quando é por uma boa causa, nada nos detém.

Já na meta estava a D. Lili Caneças, que aproveitou para dar mais umas entrevistas como se do assunto soubesse.
A Aldinda e a Manuela encontraram-se connosco e estivémos em amena cavaqueira. Depois ainda palmilhámos mais 1 km até à estação de Algés para apanharmos o comboio e seguirmos de novo até Santos. No comboio fez-se conversa com mais umas quantas mulheres que se juntaram a esta causa. Foi bom rever as artistas que se mostraram cheias de projectos para levar a Rosa Esperança pelo nosso Portugal.