24 de julho de 2008

Sair daqui


Hoje foi dia de consulta. Significa que há 2 dias que durmo mal. Às 8h00 já estava no Hospital. Fui atendida às 12h00, nada mal!!!! Era suposto que esta consulta fosse para se chegar a uma conclusão relativamente à alteração da fosfatase alcalina. Ando nisto desde Abril. Faço análises de 15 em 15 dias e o raio da FA continua a aumentar. Bem, hoje o medico disse-me que tenho de fazer mais um exame e só depois se verá. Até lá quero descansar que bem preciso. Tenho andado num stress à conta desta coisa que até evito falar nela. A Carol tem sentido estas energias menos boas e não tem sido nada benéfico para ela. Ontem à noite não conseguia adormecer. Quis deitar-se comigo e depois quando a mudámos para a cama dela acordou sobressaltada e voltámos a deitá-la na nossa cama. Depois lá adormeceu e voltámos a pô-la na cama mas já era bastante tarde. Sinto que agora ela está mais nervosa e apanha todas as conversas. Outro dia perguntou-me como é que a minha mãe tinha morrido. Eu lá tentei dar a volta à conversa e disse que o coração dela estava fraquinho e ela adormeceu. Mas não ficou muito convencida. Enfim, tem 6 anos e já vai tendo consciência da realidade.

Quero fugir daqui. Não marquei nada visto que tinha a consulta. Mas vou mesmo basar daqui para fora, não sei para onde nem quando, mas aceito sugestões. Sejam breves pls.

17 de julho de 2008

O téréré da Carol



No passado fim de semana fugimos de novo rumo a Milfontes. O tempo não esteve lá grande coisa, principalmente pelo vento que era bastante frio. Mesmo assim fomos à praia do Malhão que continua espectacular. A água é que estava de cortar....Brrrrr!!!!

A tarde é sempre dedicada ao descanso, que pode ser numa esplanada a comer caracóis ou a devorar um ganda gelado da Mabi. No larguinho do Castelo, estavam por lá uns "rastas" que por sinal vendiam umas peças bem giras e super originais feitas em prata e pedras vindas da Tailândia. Uma delas fazia umas "massas" no engenho dos térérés. Como a mãe é mais maluca do que a filha, desafiei-a a fazer um dito téréré, que até acho uma certa piada, mas só durante o Verão. Pronto, tá feito, pega lá os 8 euritos e já gozas. Enquanto ali estivémos a "rasta" teve sempre ocupada nesta arte. A seguir já lá estavam mais candidatas.

No Domingo de regresso a Lisboa, parámos em Porto Covo para tomarmos um café e fiquei agradavelmente surpreendida com as obras que fizeram no largo. Vão até lá se puderem e depois contem como foi. A Costa Vicentina é sempre bonita, seja de Inverno ou Verão.

7 de julho de 2008

carpe diem


Sexta feira foi um dia em cheio para mim. Logo pela manhã tive consulta com o meu oncologista porque andamos às voltas com um resultado que ainda não normalizou, o da fosfatase alcalina. O dito Senhor anda nervoso desde que tem a presença de uma estagiária durante as suas consultas e já não é o mesmo que conheci há uns tempos atrás. Como tinha junta médica logo a seguir, pedi-lhe um relatório para poder levar. Pensei que me ía bater. Levantou-se e tentou articular umas palermices que fingi não ouvir. "Não passo nenhum relatório. Se lhe pedirem vem cá e nessa altura posso fazê-lo". Filho da mãe! Como se não bastasse estarmos nesta situação e ainda temos que apanhar com estas madurezas. Saí do gabinete e só me apeteceu chorar. Mas fiquei apenas pelas asneiras.

Adoro o preciocismo da hora marcada para a junta médica. Eu estava para as 14:28. Fui atendida 1/2h depois. Não está mal! A pergunta foi: "Porque é que está de baixa? Porque estou doente. O que é que tem? Sou doente oncológica, vcs não têm essa informação? Não, não temos." Apeteceu-me perguntar-lhes o que é que estavam ali a fazer. Podiam ir apanhar laranjas para Marrocos ou fazer trabalhos comunitários. Pelo menos não se perdia tudo. Pediram-me o relatório medico e lá tive que lhes contar a minha insistência como o medico. Depois de ouvir umas tantas alarvices, os 2 jovens decidiram suspender-me o susbsidio. Tenho 10 dias uteis para apresentar a m.... do documento. Vim de lá capaz de estrangular alguém. Liguei para hospital e falei com o assistente do serviço de oncologia. Hoje já me ligaram e já lá está o aguardado relatório. Mais trabalho, mais tempo, mais desgaste. Amanhã vou novamente ao hospital buscar aquela porra, depois vou à junta à Av. dos EUA e aguardo que me marquem nova junta médica. Tudo isto porque tenho um médico que é velho e casmurro. Estes são os srs doutores que temos neste país que fazem tudo o que querem e lhes apetece, sejam doentes oncológicos ou não. A imunidade e impunidade da classe médica é uma coisa fantástica. Até um dia meus caros!


Decidi que este episódio não ía prejudicar o meu fim de semana, antes pelo contrário, serviu de alavanca e mais depressa fiz as malas e fomos a caminho de VNMilfontes. Os meus sogros estão lá de férias e nada como sol e praia para limpar estas energias negativas. Foi muito bom. O tempo estava excelente e a água também. Comemos, bebemos e descansámos. Ontem ao final da tarde eu e o meu sogro devorámos duas pratadas de caracóis acompanhadas de umas bejecas. Que saudades que eu já tinha destes deliciosos bichinhos. Não sei porquê, mas sempre que vou a Milfontes tenho que comer caracóis, faz parte do roteiro.