19 de janeiro de 2008

...Eternamente

“…..Eternamente”

“…. E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente.

Apenas nos iludimos, julgando ser dono das coisas, dos instantes e dos outros.

Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram,

todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo

podia ser meu para sempre.”

Miguel Sousa Tavares

12 comentários:

lia disse...

Olá Imel ,passei aqui no teu cantinho...beijinho muita força e coragem...

isa disse...

Imel, debaixo deste medo que sentimos, tambem temos uma grande vontade de vencer. E não andar triste e pensar positivo, é 30% da cura segundo os estudos não sei de onde, (mas fiquei com isto gravado). Por isso, no meu caso, eu sinto medo, quando se aproxima a altura das analises dos exames, o medo é maior e não me deixa ser feliz. Mas à noite quando me deito, fecho os olhos e digo baixinho: estou curada, o meu corpo esta normal, com saude, e nada me vai tirar o prazer de mais um dia.

Temos que largar estes desabafos, quando nos sentimos mais a rasca. Mas temos que ter muita fé, criar as nossas crenças.Ter a nossa fé, nem que seja no amor e na paz que merecemos.
Que bom tambem teres desabafado...mas temos que falar mais... aqui ou ao vivo e a cores.
Beijinhos...e nada de ser infeliz, por favor! tu és linda mulher!

Isa-retratoiluminado

Alda disse...

Olá Imel,
Todas nós vivemos com medo!Temos dias melhores e dias "levados dum raio".
Mas uma coisa é certa, teremos que aprender a viver assim, para o resto da vida, e Deus queira que por muitos anos! É bom sinal...

Força!!! Um beijinho

cristina j, disse...

Imel, li o teu comentário no blog da Isa Iluminada, e olhei para as palavras "sinto-me mais só que nunca", ou algo do género, e mais uma vez percebi a solidão com que vocês vivem esta doença...

Não é uma solidão no sentido de estarem sózinhas, mas uma solidão de vivência, de decisões, de temores e medos.

A mim, entender isso é muito doloroso, porque também nós, que estamos ao vosso lado, nos sentimos sós...na impotência de ajudar.mos, de curar-mos de não repartir-mos.
Não é uma doença má, mas é uma doença...da alma e do espirito, que nos corrói por dentro, e nos leva quase á loucura da "culpa".

É assim que me sinto agora, nesta fase de vida : CULPADA, muito culpada e por diversas razões...

E pronto, também me fez bem este desabafo, acredita.

Bjinhos e muita força para ti

Nela disse...

Imel,

Já disseram tudo, por agora.
Os teus exames, tal como os da Isa, vão estar bem.

Bjufas

C. disse...

Querida Imel.
Não sei bem o que te dizer.
Só sei que o medo e o desânimo não ajudam nada.
Se puderes pega na tua filha e vê se vais a algum lado que te disponha bem.
Fazer umas comprinhas , sair com uma amiga , dizer uns disparates.
Tudo serve para desanuviares um pouco.
Estarei sp pronta para te ouvir, se assim o quiseres.
Um beijinho enorme e as tuas melhoras.
Carmen.

imel disse...

Oi Amigas
Obrigado pela força, mas de facto este periodo de controlo é complicado, deixa-nos num estado de ansiedade terrivel.

Hoje fui fazer uma caminhada no passeio maritimo de Oeiras com uma amiga e soube-me muito bem. Tenho que fazer isto mais vezes. Pensar mais em mim, essencialmente.

Um beijo grande e fiquem bem.

Nela disse...

Imel,

Sou cliente habitual do passeio marítimo de Oeiras. Temos que nos encontrar!
Jinhos

imel disse...

Oi Nela, Hoje já dei a minha volta. Está um dia excelente e há que aproveitar o sol. Quando quiseres diz e lá nos encontraremos.

Bjocas

Mimas disse...

Força, Imel, tudo vai estar bem...

Beijo grande,
Mimas

IsaLenca disse...

Que tudo corra bem... e muitos passeios bem solarengos!
Bjs

cristina j, disse...

Imel,
Dá-lhes na cabeça...

Vão ficar verdes!

Bjinhos